Na Itália, todos os alunos passarão de ano por conta do coronavírus

Professores decidem que nenhum jovem será prejudicado pela pandemia

Stephanie Bevilaqua CNN Brasil
08 de abril de 2020 às 11:35
 
Foto: Annie Spratt/Unsplash

Em virtdue da explosão da doença no país, docentes chegam ao consenso de que nenhum estudante deve ser prejudicado durante o ano acadêmico que atravessa a crise. Apesar de escolas em todo o mundo terem adotado a educação a distância como ferramenta para seguir com as aulas durante a pandemia, muitas chegaram a ser afetadas por algum período.
 
Nesta segunda-feira (06) o governo italiano garantiu que todos os estudantes serão aprovador no ano escolar 2019-2020. A Ministra da Educação da Itália, Lucia Azzolina, foi uma das responsáveis por escrever o decreto e disse que se houver conteúdos que devem ser recuperados, os mesmo deverão ser ministrados em setembro. 
 
Mesmo tendo em conta a situação de emergência, avaliações sobre os esforços dos alunos continuarão sendo feitas remotamente caso o distanciamento social venha a ser prorrogado. No entanto, todos os estudantes seguirão seu curso sendo aprovados de grau automaticamente este ano.
 
A ministra também afirmou que o governo não pode ter a certeza de que todos possam ter as mesmas condições de aceder a educação a distacia oferecida pelos colégios italianos. E por conta disso, não seria justo aplicar as provas convencionais.
 
Em teoria, o confinamento na Itália está decretado até 13 de abril. No entanto, pode ser prorrogado até maio. E apesar do cenário ter atingido resultados assustadores por lá, a boa notícia é que esta semana, após adotadas políticas ainda mais rígidas de isolamento social, o país vem apresentando queda nas mortes e teve ontem o menor número de novos casos de coronavírus (COVID-19) em 25 dias.