Número de pessoas atualmente com coronavírus na Itália cai pela primeira vez

balanço divulgado nesta segunda-feira (20) indica que o número total de contaminados em relação ao domingo (19) caiu 20 pessoas: 108.237, contra 108.257

Da CNN, em São Paulo
20 de abril de 2020 às 13:50
Soldados patrulham a praça de São Marcos, em Veneza, Itália
Foto: Manuel Silvestri/Reuters (5.abr.2020)

A Itália tem hoje, pela primeira vez desde o início da pandemia, menos pessoas contaminadas com novo coronavírus do que tinha no dia anterior. O balanço divulgado nesta segunda-feira (20) indica que o número total de contaminados em relação ao domingo (19) caiu 20 pessoas: 108.237, contra 108.257. 

Isso foi possível, segundo a Defesa Civil italiana, graças a uma queda no número de novos contágios de COVID-19, que recuou de 3.047 no domingo para 2.256 hoje, e a uma relativa estabilidade no ritmo de mortes e de pessoas curadas. Os mortos tiveram um pequeno aumento de 433 para 454 pessoas e os curados, recuaram de 2.128 para 1.822.

A queda dos novos contágios também é reforçada quando examinada junto do volume de testes feitos. Com 41 mil provas, o índice de testes positivos é de 5,4% - dentro da média dos últimos dias e bem abaixo do índice de 33% registrado no pico da epidemia.

O aumento no fluxo de testes - que triplicou em relação a março - também é um indicativo de que pessoas com sintomas menos graves estão sendo diagnosticadas, segundo a Defesa Civil. Dos 108 mil contaminados atualmente, 80 mil estão em isolamento domiciliar com sintomas leves. 

Outro sinal otimista do boletim de hoje é a tendência de queda nas internações, tanto em UTI quanto em leitos hospitalares, que já vem sendo percebida desde março, mas ganhou velocidade nas últimas semanas. Hoje,  os centro de terapia intensiva italianos cuidam de 2.573 doentes, depois de um pico de 4 mil pessoas no auge da epidemia no país. 

Desde o início da pandemia, a Itália registrou 180 mil casos de COVID-19 e 24 mil mortos.