Trump deseja 'sorte' a Kim Jong Un, mas diz desconhecer seu estado de saúde

Governo americano monitora informações que sugerem problemas de saúde do líder norte-coreano

Kevin Liptak, da CNN
22 de abril de 2020 às 02:33
Encontro de Donald Trump e Kim Jong Un em Singapura, em 2018
Foto: Kevin Lim/The Strait Times/Handout/Getty

O presidente Donald Trump declarou, nesta terça-feira (21), não saber se o ditador norte-coreano Kim Jong Un está doente, mas fez questão de desejar "sorte" ao líder asiático. 

Leia também:
Por que a confusão sobre a saúde de Kim Jong Un faz muito sentido

"Só posso dizer isso, desejo-lhe felicidades", disse Trump quando questionado sobre a condição de Kim. "Boa sorte."

Jim Sciutto, da CNN, informou na segunda-feira que os Estados Unidos estão monitorando informações que sugerem que o líder da Coreia do Norte está em grave perigo depois de passar por uma suposta cirurgia cardíaca.

Uma segunda fonte familiarizada com a inteligência disse à CNN que o governo americano está monitorando de perto os relatórios sobre a saúde de Kim.

O líder norte-coreano recentemente se ausentou da comemoração do aniversário de seu avô em 15 de abril, o que levantou especulações sobre sua saúde. Ele foi visto quatro dias antes em uma reunião do governo.

Trump, que se reuniu com Kim pessoalmente três vezes e atravessou a Zona Desmilitarizada da Coréia ao lado do jovem ditador no verão passado, afirmou que eles desenvolveram laços fortes.

"Eu tenho um relacionamento muito bom com ele", disse Trump.

O presidente americano já havia dito ter "se apaixonado" por Kim e trocando cartas brilhantes que enfatizavam seu relacionamento incomum. Ele disse que na semana passada recebeu uma "nota legal" de Kim. "Acho que estamos indo bem", declarou Trump na época.

Mais tarde, Pyongyang negou que Kim tenha enviado recentemente enviado uma carta a Trump e o acusou de evocar o relacionamento pessoal para "fins egoístas".

Os efeitos da amizade entre os dois líderes são variados. A Coreia do Norte não tomou medidas concretas para abandonar seu programa nuclear e continua testando mísseis.

Perguntado na terça-feira se tentaria entrar em contato com Kim durante o período relatado de convalescença, Trump disse que sim.

"Eu posso", disse o presidente americano. "Eu só espero que ele esteja bem."