Covid-19: Coreia do Sul toma cuidados contra 2ª onda após casos voltarem a subir

"Nunca devemos baixar nossa guarda", pediu presidente em discurso na TV. Após semanas registrando cerca de 10 casos diários, país teve 34 no último boletim

Da CNN*
10 de maio de 2020 às 05:38
Sul-coreanas utilizam máscara de proteção contra o coronavírus
Foto: Kim Kyung-Hoon/Reuters (5.mar.2020)

A Coréia do Sul alerta sua população para o risco de uma segunda onda do novo coronavírus, após voltar a registrar aumentos nos números de casos justamente no momento em que o país começa a aliviar restrições. Nos últimos dias, o país - que passou semanas registrando números próximos de 10 casos diários - retornou até mesmo o campeonato nacional de futebol.

No mais recente boletim, divulgado neste domingo (10), os Centros de Controle e Prevenção de Doenças da Coreia (KCDC) relataram 34 novas infecções, o maior aumento diário desde 9 de abril. Um dia antes, o país já havia tido um aumento significativo, com 18 casos.

No total, desde o início da pandemia, o país soma 10.874 casos e 256 mortes.

Como principal justificativa para o aumento, o país identificou um pequeno surto de frequentadores de bares e boates em Seul, o que levou as autoridades a fechar temporariamente todas as instalações de entretenimento noturno da capital.

Apesar da medida indicar controle da situação, o presidente do país, Moon Jae-in, pediu extrema precaução da população em um discurso televisionado neste domingo.

"Não acabou enquanto não acabar", disse Moon. Ele afirmou que o surto das boates mostra como o vírus pode se espalhar amplamente a qualquer momento e alertou para o risco de uma segunda onda no final deste ano.

Antes de voltar a registrar aumento de casos, a Coreia do Sul havia passado semanas com contagens diárias de casos em torno de 10 ou menos, sendo que a maioria dos novos infectados até então haviam contraído a doença fora do país.

O registro diário de novas infecções havia pairado em torno de 10 ou menos nas últimas semanas, com nenhum ou muito poucos casos domésticos nos últimos 10 dias.

"Nunca devemos baixar nossa guarda em relação à prevenção de epidemias", disse Moon no discurso deste domingo, que marcou terceiro aniversário de sua posse. "Estamos em uma guerra prolongada. Peço a todos que cumpram as precauções e regras de segurança até que a situação acabe, mesmo depois de retomar a vida cotidiana".

* Com Reuters