Trump diz que pode restaurar 'algum fundo' para a OMS


Reuters
16 de maio de 2020 às 17:28 | Atualizado 16 de maio de 2020 às 17:29
O presidente dos EUA, Donald Trump, anuncia medidas de combate ao coronavírus

Trump analisa a possiblidade de voltar a contribuir financeiramente com a OMS 

Foto: Leah Millis - 16.mar.2020/Reuters

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, afirmou neste sábado (16) que seu governo considera uma série de propostas sobre a Organização Mundial de Saúde (OMS), incluindo uma em que Washington pagaria cerca de 10% do que desembolsava anteriormente.

Em um post no Twitter, Trump sublinhou que nenhuma decisão definitiva foi tomada e que o financiamento dos EUA à agência mundial de saúde permanecia congelado.

Trump suspendeu contribuições dos EUA à OMS em 14 de abril, acusando-a de promover a "desinformação" da China sobre a pandemia de coronavírus e dizendo que sua administração faria uma revisão da entidade. Oficiais da OMS negaram as acusações e a China insistiu que foi transparente e aberta.

Leia também:

Nos EUA, brasileira cuida de bebê afastado da mãe com Covid-19
 

Citando o rascunho de uma carta, a Fox veiculou na sexta-feira que Trump estava preparado para liberar fundos parciais à OMS, igualando a contribuição estimada da China.

Os EUA eram os maiores doadores da OMS. Se o país igualar a contribuição da China, como a Fox indicou, o novo nível de financiamento seria de por volta de 10% do valor anterior de 400 milhões de dólares por ano. 

Respondendo a críticas sobre a volta dos pagamentos, Trump disse que "é apenas um dos vários conceitos sendo considerados, no qual pagaríamos 10% do que pagamos por vários anos, igualando um valor muito menor da China. Não tomei a decisão final. Todos os fundos estão congelados".