Sem recomendação médica, Trump diz tomar cloroquina para prevenção da Covid-19


Nikki Carvajal, da CNN
18 de maio de 2020 às 18:16 | Atualizado 18 de maio de 2020 às 18:16
Donald Trump em entrevista coletiva sobre a evolução da Covid-19 na Casa Branca

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump

Foto: Jim Watson/AFP/Getty (5.mai.2020)

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, afirmou nesta segunda-feira (18) que está fazendo uso diário da hidroxicloroquina após perguntar ao médico da Casa Branca se ele poderia tomar o medicamento.  

“Algumas semanas atrás, eu comecei a tomar”, disse. Posteriormente, ele acrescentou que está tomando o remédio diariamente por uma semana e meia. 

Questionado se esta foi a recomendação médica, Trump afirmou apenas que “não”. “Eu perguntei o que ele achava e ele disse, ‘bem, se você quiser’”, afirmou o presidente americano aos jornalistas. 

Trump voltou a dizer que não foi infectado com a Covid-19, mas que começou a tomar o medicamento porque ouviu de pessoas na linha de frente que lhe disseram em cartas que estão tomando o remédio preventivamente. 

“Essa é a minha evidência: Eu recebo muitas ligações positivas sobre isso”, disse o presidente. Trump disse que não sabe se funciona, mas que “se não, você não vai ficar doente ou morrer”. 

“Eu estou tomando por uma semana e meia até agora e ainda estou aqui”, disse Trump. Na semana passada, a CNN noticiou um novo estudo – o maior deste tipo – que mostra que a hidroxicloroquina não funciona contra a Covid-19 e pode causar problemas cardíacos. 

Assista e leia também:

Hidroxicloroquina: o que é o medicamento e por que ele divide o governo?

Médicos especialistas divergem sobre o uso de cloroquina e isolamento

Maranhão insere novo protocolo de cloroquina e disponibiliza kit de medicamentos

O estudo foi publicado na revista da Associação Médica Americana. Esta pesquisa sucede um estudo publicado no New England Journal of Medicine que também mostra que a droga não combate o vírus. 

Mesmo antes dos relatórios serem publicados, o FDA, órgão que regula medicamentos nos EUA, e o Instituto Nacional de Saúde (NIH, na sigla em inglês) manifestaram preocupações a respeito de usar os medicamentos para o tratamento de pacientes com o coronavírus. 

“O prego foi praticamente martelado no caixão da hidroxicloroquina”, disse o médico William Schaffner, especialista em doenças infecciosas e conselheiro de longa data do Centro de Controle e Prevenção de Doenças americano (CDC, na sigla em inglês).