“Vespas assassinas” sobreviveram ao inverno nos EUA


Pietra Carvalho Da CNN, em São Paulo
01 de junho de 2020 às 18:14
 

Uma terceira “vespa assassina” foi encontrada no noroeste dos Estados Unidos na última sexta-feira (29). O inseto, também conhecido como vespa asiática, pode atingir até 5 cm e possui um veneno poderoso, letal principalmente para abelhas. 

Graças à mandíbula afiada e ao seu tamanho, a vespa é capaz de destruir uma colmeia rapidamente, preocupando os entomologistas, profissionais especializados na relação entre os insetos e o meio ambiente, em Washington, estado em que a espécie foi identificada de maneira inédita no país. 

As primeiras vespas apareceram nos Estados Unidos no final do ano passado, mas não foram encontradas provas da presença de um ninho na região e alguns pesquisadores esperavam que o animal não fosse sobreviver ao rigoroso inverno norte-americano. 

As análises preliminares do inseto, encontrado já sem vida, levou em conta suas características morfológicas para indicar que ela era a rainha do ninho. Apesar de ser uma ameaça principalmente para as abelhas, cerca de 50 pessoas morrem por ano vítimas da vespa no Japão, seu principal reduto. 

"Resultados preliminares indicam que esta é uma rainha, mas isso não é oficial e depende de mais pesquisa no laboratório em Washington (capital dos EUA). Isso significa que é bem provável que um ninho tenha conseguido produzir rainhas reprodutoras e passar pelo inverno”, disse Sven-Erik Spichiger, entomologista do Departamento de Agricultura de Washington. 

“Na verdade, eu discuto como devemos chamar isso (a descoberta do corpo da vespa-rainha), uma detecção ou erradicação de ninho. Quando você remove uma rainha, está basicamente matando o ninho, especialmente neste período do ano. Logo, podemos considerar isso meio que uma vitória", completou o profissional. (Com informações da Reuters)