Ciclone na Índia: pacientes com Covid-19 são transferidos

Cerca de 1.000 pessoas que estavam em hospital de campanha na maior cidade do país foram levada para abrigos; ao todo, mais de 100 mil pessoas foram afetadas

Helen Regan, Esha Mitra e Rishabh Madhavendra Pratap, da CNN
03 de junho de 2020 às 09:55
Imagem de satélite mostra o ciclone Nisarga se aproximando da Índia
Imagem de satélite mostra o ciclone Nisarga se aproximando da costa oeste da Índia
Foto: CNN Weather

Pacientes infectados pelo novo coronavírus estão entre mais de 100 mil pessoas retiradas de áreas costeiras nos estados ocidentais da Índia, em razão da aproximação de um ciclone que avançou em direção a Mumbai nesta quarta-feira (3).

O Nisarga chegou ao país por volta das 13 horas (4h30, em Brasília) com ventos de até 110 km/h, de acordo com o Departamento Meteorológico da Índia (IMD). O ciclone, que se formou no mar da Arábia na manhã de terça, atingiu a cidade de Alibag, ao sul de Mumbai.

Os ciclones nessa parte do país são relativamente raros – Mumbai, centro financeiro da Índia e lar de 18 milhões de pessoas, foi atingida pela última vez por um fenômeno como este em 1948.

A chegada do Nisarga acontece quando o estado de Maharashtra lida com o pior momento da pandemia de Covid-19 no país. Os hospitais têm dificuldade para atender a todos os pacientes, já que o número de casos confirmado nesse estado passa de 72 mil, com mais de 2,4 mil mortes.

Assista e leia também:

Macacos atacam laboratório e roubam sangue infectado com Covid-19 na Índia

Casos de Covid-19 chegam a 6 milhões no mundo, diz universidade

Antes do tocar o continente, o ciclone se fortaleceu até o equivalente a um furacão de categoria 1 no Atlântico ou uma tempestade ciclônica grave no Pacífico.

Os estados de Maharashtra e Gujarat, e os territórios de Dadra e Nagar Haveli e Daman e Diu ao longo da costa oeste da Índia, provavelmente serão os mais afetados pela tempestade. A maior ameaça virá das chuvas intensas que podem levar a inundações em Mumbai e arredores e nas áreas vizinhas de Maharashtra e Gujarat.

Retirada de pacientes com Covid-19

Cerca de 1.000 pacientes com suspeita de Covid-19 foram retirados de um hospital de campanha, na terça-feira, e levados para outras instalações.

"Os galpões podem suportar facilmente a chuva, mas é com a velocidade do vento que me preocupo e não quero pôr em perigo ninguém", disse Uddhav Thackeray, ministro-chefe do Estado em um discurso na terça-feira.

Além delas, mais de 50 mil pessoas que vivem ao longo da costa do sul de Gujarat foram removidas, disse o Comissário de Socorro de Gujarat, Harshad Patel. Em Mumbai, as autoridades estaduais retiraram mais de 60 mil pessoas dos distritos costeiros, de acordo com Kishor Raje Nimbalkar, Comissário de Socorro de Maharashtra.

Mais de 100 mil pessoas foram removida de suas casas em Mumbai, na Índia
Mais de 100 mil pessoas foram removida de suas casas em Mumbai, na Índia, antes de ciclone atingir o país
Foto: Vijay Bate - 3.jun.2020/ AFP/ Getty Images

O corpo cívico de Mumbai (BMC) disse que 35 escolas estão sendo usadas como abrigos temporários para os cidadãos.

O primeiro-ministro indiano, Narendra Modi, pediu aos moradores das áreas afetadas que tomem todas as precauções possíveis.

"Analisamos a situação após as condições de ciclone em partes da costa oeste da Índia. Rezando pelo bem-estar de todos, peço às pessoas que tomem todas as precauções e medidas de segurança possíveis", disse Modi em um tuíte na terça-feira.

O Nisarga ocorre duas semanas depois que o ciclone Amphan matou pelo menos 90 pessoas na Índia e no vizinho Bangladesh, deixando milhões sem energia e causando mais de US$ 13,2 bilhões em danos.