Embaixador defende Bolsonaro em carta a deputados democratas nos EUA

Em carta, à qual a CNN teve acesso, Nelson Forster prega o diálogo com os democratas

André Spigariol Da CNN, em Brasília
09 de junho de 2020 às 11:44 | Atualizado 09 de junho de 2020 às 11:45
Embaixador Nestor Forster, encarregado da Embaixada do Brasil em Washington, fala à CNN
Foto: CNN (25.mai.2020)

O embaixador Nestor Forster Júnior, encarregado de negócios da Embaixada do Brasil em Washington, respondeu na segunda-feira (8) a críticas ao governo brasileiro feitas na semana passada por deputados do Partido Democrata, nos EUA.

Em carta, à qual a CNN teve acesso, Forster prega o diálogo com os democratas e defende o presidente Jair Bolsonaro, que, segundo, ele tem "compromisso inequívoco com a democracia, o Estado de Direito e a proteção dos direitos constitucionais do povo brasileiro". 

Os parlamentares expressaram "Fortes objeções à busca de um acordo comercial ou parceria econômica ampliada com o Brasil" sob o governo de Jair Bolsonaro, descrito por eles como "um líder que desconsidera o estado de direito e desmantela ativamente o árduo progresso nos direitos civis, humanos, ambientais e trabalhistas". Mas, de acordo com Nestor Forster, as afirmações são fruto do que ele chama de "má interpretação ou desinformação". 

O embaixador, que ainda não foi efetivado no cargo pelo Senado Federal, argumenta que "o Brasil manteve, sob a administração de presidente Jair Bolsonaro, um sólido histórico de respeito aos direitos humanos e trabalhistas, além da proteção da dignidade dos trabalhadores. As leis trabalhistas abrangentes e protetoras do Brasil, em muitos aspectos, oferecem direitos ainda mais amplos ao trabalhador médio do que o que é concedido por outros países, incluindo os EUA", aponta.

"Muitos deles estão consagrados em disposições constitucionais, que permanecem intactas", assevera o diplomata. Segundo ele, nenhuma proteção a povos indígenas foi revogada durante o atual governo.

Nos bastidores, diplomatas brasileiros ouvidos pela CNN avaliam que o diálogo com integrantes do Partido Democrata nunca se perdeu e defendem o trabalho de Nestor Forster junto a parlamentares governistas e oposicionistas no Congresso americano.

Nos corredores do Itamaraty, a avaliação é que uma eventual derrota de Donald Trump nas eleições deste ano trará mudanças na relação entre Brasil e Estados Unidos, com uma maior preocupação dos democratas com questões como meio ambiente e direitos humanos. No entanto, integrantes da diplomacia de Jair Bolsonaro apostam que nenhum presidente americano poderá abrir mão da importância geopolítica e econômica do Brasil na América Latina.

Na carta dos deputados, encaminhada ao Representante de Comércio dos Estados Unidos (USTR), os parlamentares dizem que  "sob o governo do presidente Bolsonaro, a Floresta Amazônica está sob séria ameaça". A afirmação é rebatida por Nestor Forster: "nada poderia estar mais longe da verdade", diz. "O compromisso do Presidente Bolsonaro para a proteção e desenvolvimento sustentável da Amazônia tem sido inabalável, conforme mostrado nas Operações Brasil Verde I e II que, desde agosto de 2019, mobilizam milhares de tropas para combater incêndios e conter o desmatamento ilegal", acrescenta.

Ao final da carta, o embaixador pede que a posição dos parlamentares democratas seja reconsiderada e que um diálogo seja aberto entre os opositores de Donald Trump e a Embaixada do Brasil. "O Brasil e os Estados Unidos apenas ganham com o aumento da parceria comercial e econômica, que se traduzirá em prosperidade e oportunidade para trabalhadores brasileiros e americanos", conclui.