Polícia prende mais de 100 pessoas em protestos em Londres

Atos distintos reuniram manifestantes da extrema-direita e antirracistas no sábado (13); 15 pessoas ficaram feridas

Da CNNe, em São Paulo
14 de junho de 2020 às 09:19

A polícia de Londres prendeu mais de 100 pessoas durante as manifestações ocorridas no sábado (14). Os atos, que foram convocados por grupos antirracismo e gurpos de extrema-direita, foram criticados por integrantes do governo britânico. Pelo menos 15 ficaram pessoas feridas, incluindo dois policiais e seis manifestantes que precisaram ser internados.

O primeiro-ministro do Reino Unidos, Boris Johnson, disse que o racismo é inaceitável e não tem lugar no país. Mas autoridades criticaram ações dos movimentos. O prefeito de Londres, Sadiq Khan, condenou a violência. O ministro das Finanças, Rishi Sunak, afirmou que foi chocante ver as cenas registradas em Londres.

Havia dois protestos marcados para a região central de Londres no sábado. Um deles foi convocado por manifestantes antirracistas e, o outro, por apoiadores da extrema-direita. A polícia montou barreiras entre os dois grupos para impedir que eles se encontrassem.

Parte dos manifestantes da extrema-direita, que diziam estar no local para proteger estatátuas e monumentos que foram depredados em atos na semana passada, tentou romper as barreiras policias. Eles atacaram a polpicia jogando latas, garrafas, fogos de artifício, gritavam insultos raciais e hinos nacionalistas.

Segundo a polícia britânica, os manifestantes presos responderão acusações de desordem violenta, agressão a policiais, porte de ama, violação da paz e posse de drogas.

(Edição: Sinara Peixoto)