Pequim cancela voos e fecha escolas para conter novo surto de Covid-19

Autoridades de saúde registraram 31 novas infecções confirmadas em 16 de junho, elevando as infecções cumulativas desde quinta-feira para 137 casos de Covid-19

Reuters
17 de junho de 2020 às 03:14 | Atualizado 17 de junho de 2020 às 05:11
Pessoas fazem fila para serem submetidas a teste para Covid-19 em Pequim
Foto: Thomas Peter/Reuters

Uma série de voos com ida e volta apra Pequim foram cancelados nesta quarta-feira (17), quando as autoridades intensificaram as tentativas de conter um surto de coronavírus na capital chinesa.

Leia também:
Pequim adota lockdown e “método de guerra” após surgimento de novos infectados

O sistema Variflight, rastreador de dados de aviação, mostrou que metade dos voos programados de entrada e 40% dos voos de partida do Aeroporto Internacional de Pequim foram ou provavelmente serão cancelados na quarta-feira. O Aeroporto Internacional Daxing também teve cortes nas viagens.

As autoridades de saúde registraram 31 novas infecções confirmadas em 16 de junho, elevando as infecções cumulativas desde quinta-feira para 137 casos de Covid-19, o pior quadro da doença na cidade desde o início de fevereiro.

Na terça-feira, as autoridades elevaram Pequim a um alerta de nível dois, o segundo mais alto em um sistema de quatro níveis.

Cerca de 27 bairros foram designados como áreas de risco médio, onde as pessoas que entram são submetidas a verificações e registros de temperatura. Um bairro, perto do mercado de alimentos identificado como a fonte do mais recente surto, foi considerado de alto risco.

Jardins de infância, escolas primárias e escolas secundárias foram fechadas. Testes de Covid-19 foram intensificados na cidade, especialmente nas áreas de alto risco. 

No entanto, nas primeiras horas desta quarta, as estradas e rodovias da cidade ainda estavam abertas, as empresas e as fábricas não receberam ordens para interromper o trabalho, e não haviam bloqueios nas calçadas residenciais.

A mídia estatal informou que as autoridades ferroviárias estavam concedendo reembolsos totais de todos os bilhetes de e para Pequim reservados antes da noite de terça-feira, uma aparente tentativa de desencorajar as pessoas de viajarem, embora os serviços não tenham sido oficialmente cancelados.

Todos os serviços de táxi e ônibus, e algumas rotas de ônibus de longa distância para as províncias próximas de Hebei e Shandong foram canceladas na terça-feira.

Alguns moradores de Pequim temiam que a cidade estivesse se aproximando de um bloqueio, ecoando as proibições estritas de movimento no início deste ano na cidade de Wuhan, onde o novo coronavírus foi detectado pela primeira vez em um mercado de animais silvestres em dezembro.