Covid-19: paciente mais grave do Vietnã se recupera; país segue sem mortes

Hospital anunciou alta de britânico de 43 anos, que chegou a ter capacidade pulmonar reduzida a 10%. País, que fez quarentena radical, não registrou óbitos

Minh Nguyen, da Reuters
13 de julho de 2020 às 02:39
Rua de Hanói, no Vietnã
Foto: Leon Ting/ Pixabay

Um piloto britânico, contaminado pela Covid-19 no Vietnã, está recuperado da Covid-19 após se aproximar da morte e ser considerado o paciente em estado mais grave no país pela doença. No sábado (11), as autoridades locais informaram sobre sua alta.

O caso de Stephen Cameron atraiu a atenção nacional no Vietnã, onde uma combinação de testes bem direcionados e quarentena agressiva manteve as estatísticas do novo coronavírus incrivelmente baixos: cerca de 370 casos e zero mortes.

O escocês de 43 anos chegou ao Vietnã no início de março para trabalhar na Vietnam Airlines, de acordo com a mídia estatal. Ele foi uma das 19 pessoas que visitaram um bar na cidade de Ho Chi Minh em 13 de março, onde um conjunto de casos de coronavírus foi descoberto.

Ele foi inicialmente identificado como "Paciente 91".

No início de abril, Cameron estava em um ventilador mecânico no Hospital de Doenças Tropicais da cidade de Ho Chi Minh. Em maio, autoridades médicas disseram que a doença reduziu sua capacidade pulmonar para 10% e que ele precisava urgentemente de um transplante de pulmão.

Com a grande maioria dos pacientes com Covid-19 do Vietnã já recuperados, as notícias de uma potencial primeira morte levaram a uma manifestação nacional de apoio, com dezenas de pessoas se apresentando como potenciais doadores de pulmão.

Semanas depois, no entanto, Cameron recuperou a consciência depois que sua condição começou a melhorar. Ele foi retirado do suporte de vida e logo não precisava mais da ajuda de um ventilador para respirar, de acordo com a mídia estatal. Mais tarde, Cameron foi transferido para o Hospital Cho Ray em 22 de maio.

Ele voará para Hanói no final do sábado e continuará para Frankfurt, na Alemanha, antes de chegar em casa no Reino Unido.