Polícia prende 45 em confronto após marcha do Black Lives Matter em Seattle

Eles foram acusados de atacar os agentes, de obstrução e de não obedecerem ordens de dispersão; ao menos 21 policiais ficaram feridos

Reuters
26 de julho de 2020 às 11:58

Ao menos 45 pessoas foram presas e 21 policiais ficaram feridos na cidade de Seattle, nos Estados Unidos, durante confrontos entre manifestantes que participavam, na noite de sábado (25) da maior marcha movimento Black Lives Matter (Vidas Negras Importam) das últimas semanas e agentes federais.

A corporação afirmou que os agentes usaram armas não letais na tentativa de dispersar os milhares de manifestantes no final da tarde, depois de alguns deles atearem fogo no local onde é construído o centro de detenção juvenil e o tribunal do condado de King.

Os presos foram acusados de atacar os agentes, de obstrução e de não obedecer ordens de dispersão, segundo a polícia.

“[Às 22h (2h, de domingo, em Brasília)] a polícia fez 45 detenções em conexão com o tumulto de hoje no distrito leste", escreveu a polícia de Seattle no Twitter. A mensagem diz que 21 policiais “sofreram ferimentos após serem atingidos por tijolos, pedras e explosivos”. “A maioria dos policiais continuou trabalhando. Um foi tratado em um hospital por uma lesão no joelho.”

Assista e leia também:

Prefeito de Portland é atingido por gás lacrimogêneo em noite de protestos

Trump classifica expressão 'Vidas Negras Importam' como 'símbolo de ódio'

O presidente norte-americano, Donald Trump, disse na quinta-feira (23) que expandiu o envio de forças federais para Seattle, irritando autoridades locais e manifestantes.

Policiais tentam dispersar manifestantes em Seattle, nos EUA, na tarde de sábado
Foto: Ted S. Warren - 25.jul.2020/ AP

"Vimos o que estava acontecendo em Portland e queríamos garantir que em nossa cidade estivéssemos em solidariedade com outras mães", disse Lhorna Murray, que participou do protesto em nome do recém formado Wall of Moms Seattle (Muro das mães de Seattle), replicando uma tática de Portland em que as mães, vestidas de amarelo, formam um muro humano entre manifestantes e policiais.

As táticas dos policiais federais em Portland irritaram líderes locais e democratas no Congresso, que dizem que esses agentes usam força excessiva. Eles também dizem que o governo Trump reagiu de forma exagerada aos protestos.

O procurador dos EUA para o distrito ocidental de Washington, Brian Moran, disse em comunicado na sexta-feira (24) que agentes federais estão em Seattle para proteger propriedades federais e o trabalho realizado nesses prédios.

O governo Trump também enviou a polícia federal para Chicago, Kansas City e Albuquerque, no Novo México, mesmo com objeções dos prefeitos dessas cidades.