Em resposta aos EUA, China reivindica autonomia de ilhas disputadas com Japão

Comandante militar americano condenou incursões chinesas na região das ilhas Diaoyu, disputadas entre chineses e japoneses

Gabriel Crossley, da Reuters
29 de julho de 2020 às 05:20 | Atualizado 29 de julho de 2020 às 05:21
Navio de patrulha na região da ilhas Diaoyu
Foto: auntmasako/ Pixabay

O governo chinês declarou, nesta quarta-feira (29), que as ilhas Diaoyu são território chinês e que o país tem o direito de aplicar leis na área, refutando as críticas de um comandante militar dos EUA às incursões no território, que também é reivindicado pelo Japão.

Leia também:
China registra mais de 100 novos casos da Covid-19 pela primeira vez desde abril

No início deste mês, o Japão acusou a China de realizar invasões "incansáveis" nas águas ao redor dos grupos de ilhas reivindicados pelos dois países no Mar da China Oriental.

As ilhadas são conhecidas como Senkaku por Tóquio e Diaoyu por Pequim.

O porta-voz do Ministério das Relações Exteriores da China, Wang Wenbin, questionado sobre os comentários do comandante dos EUA, disse a repórteres durante um briefing diário que Pequim espera que as partes relevantes façam mais para manter a estabilidade na região;

O oficial chinês crticiou o que chamou de ações que não são favoráveis "à paz e à estabilidade na região".