Após suspeita de tiro, Trump é retirado de entrevista por Serviço Secreto

Tiroteio do lado de fora da Casa Branca foi motivação; presidente dos EUA voltou para sala de imprensa rapidamente

Anna Satie, da CNN
10 de agosto de 2020 às 19:04 | Atualizado 10 de agosto de 2020 às 21:08

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, foi retirado às pressas pelo Serviço Secreto de uma entrevista coletiva nesta segunda-feira (10).

Ele falava a repórteres na sala de imprensa da Casa Branca sobre a administração federal e a evolução da Covid-19 no país. 

De acordo com informações preliminares, tiros teriam sido detectados do lado de fora da cerca que rodeia a sede do governo.

O Serviço Secreto publicou no Twitter que investiga a participação de um de seus agentes no ocorrido. "Um homem e um agente do USSS [Serviço Secreto dos Estados Unidos] foram transportados para um hospital local. Em tempo algum durante este incidente o complexo da Casa Branca foi invadido nem qualquer outro protegido ficou em perigo".

Leia também:

Trump assina decretos com estímulo econômico após falha no diálogo com Congresso

Casa Branca questionou Dakota do Sul sobre adição de Trump ao Monte Rushmore

Professor que adivinha resultado das eleições desde 1984 diz que Trump perde

O secretário do Tesouro, Steve Mnuchin, e o diretor do Gabinete de Administração e Orçamento, Russ Vought, também foram retirados da sala. As portas foram trancadas.

Pouco depois, Trump retornou ao local da coletiva e informou que o suspeito teria sido atingido e levado ao hospital. O presidente disse pensar que o indivíduo estava armado, mas que não poderia dar mais informações.

"Foi um tiroteio fora da Casa Branca", disse ele. "Parece estar bem sob controle, mas houve realmente um tiroteio, e alguém foi levado ao hospital. Não sei da condição da pessoa". 

Trump elogiou o Serviço Secreto e disse que a agência teria mais detalhes posteriormente.

O presidente dos EUA, Donald Trump, é retirado de entrevista coletiva pelo Serviço Secreto
Foto: Kevin Lamarque/Reuters (10.ago.2020)

(Com informações da Reuters)