Ex-candidato democrata elogia coragem política de Biden em apoiar casamento LGBT

Quando era vice de Obama, candidato presidencial chegou a provocar constrangimento ao se antecipar a chefe e anunciar defesa da causa

Dan Merica, da CNN
21 de agosto de 2020 às 00:16
O ex-candidato democrata e ex-prefeito de South Bend Pete Buttigieg
Foto: Democratic National Convention

Quando Joe Biden, em uma entrevista televisionada nacionalmente, disse apoiar o casamento entre pessoas do mesmo sexo em 2012, ele colocou Barack Obama, presidente de quem era vice, em uma situação difícil, uma vez que ele próprio ainda não havia falado publicamente sobre isso.

Alguns dias depois, Obama se tornou o primeiro presidente americano a apoiar o casamento entre pessoas do mesmo sexo.

Joe Biden se desculpou com o presidente por ter apressado o posicionamento, mas Pete Buttigieg, primeiro homossexual assumido a vencer uma primária de um dos grandes partidos, defendeu que a postura do agora candidato democrata foi um grande passo para tornar o seu casamento possível.

"A aliança no meu dedo -- um casamento que nós celebramos daqui de onde eu falo -- reflete quando nosso país pode mudar", diz Buttigieg, que fez seu discurso na Convenção Nacional Democrata a partir da casa de eventos que sediou a recepção do casamento com seu marido.

"Amor faz meu casamento real, mas a coragem política fez ele possível -- incluindo a de Joe Biden, que deu um passo à frente até deste partido quando disse que o casamento igualitário deveria ser a lei do nosso país", ele disse.

Assista e leia também:

Em noite de nomeação oficial, Biden vai apresentar visão para EUA pós-Trump

Kamala aceita nomeação a vice e critica Trump: 'falha em liderar custou vidas'

Buttigieg foi pré-candidato democrata a presidente dos Estados Unidos, tendo feito história como candidato LGBTQ ao vencer a primária de Iowa, em fevereiro. Um mês depois, anunciou a sua saída da corrida e o seu apoio a Joe Biden.

Para o ex-prefeito de South Bend, em Indiana, a vitória do ex-vice de Obama pode promover avanços na agenda em favor da aceitação das pessoas LGBTQ.

"Começa aqui, com as escolhas que vamos fazer em apenas algumas semanas", disse. "Decisões não apenas sobre quem vai nos liderar, mas sobre quem nós somos."