Quem é Kim Yo-jong, irmã do líder norte-coreano Kim Jong-un

Aos 31 anos, ela é a segunda pessoa de maior destaque do regime, abaixo somente do irmão

Da CNN
26 de agosto de 2020 às 14:23
Kim Yo-jong, irmã do líder norte-coreano Kim Jong-un, em Hanói
Foto: Jorge Silva - 02.mar.2019 / Reuters

Desde que começaram a surgir notícias sobre a irmã mais nova do líder da Coreia do Norte, Kim Jong-un, e sua participação no governo do país, muitos se perguntam quem de fato é Kim Yo-jong.

Por ser um país fechado, sem uma imprensa livre, não se sabe muitos detalhes sobre a presença dela no poder da nação asiática. Mesmo assim, ela vem ganhando cada vez mais destaque nos veículos de comunicação.

Nessa terça-feira (25), o ministro da Defesa da Coreia do Sul, Jeong Kyeong-doo, disse que ela provavelmente está na direção de um dos órgãos políticos norte-coreanos mais importantes: o Departamento de Organização e Orientação (OGD) do governante Partido dos Trabalhadores (WPK), o órgão que trata de doutrinação ideológica, organização partidária e nomeações políticas.

Assista e leia também:
Irmã de Kim Jong Un ganha cada vez mais poder na Coreia do Norte, aponta Seul
Por que a confusão sobre a saúde de Kim Jong Un faz muito sentido
Por que a Coreia do Norte quer se juntar à corrida pela vacina contra a Covid-19

2ª pessoa mais importante do país

Kim Yo-jong passou a ser a segunda pessoa de maior destaque do regime, abaixo somente do irmão, após tê-lo representado nos Jogos Olímpicos de Inverno de 2018 em Pyeongchang, na Coreia do Sul.

Na ocasião, o governador da província sul-coreana de Gangwon, Choi Moon-soon, conversou com Yo-jong. Ele a descreveu como uma pessoa “muito calma e confiante”, uma mulher de “poucas palavras”, mas que fala de forma precisa e direta.

Ela voltou a ganhar atenção durante a cúpula do irmão com o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, no Vietnã, em 2019. Na época, Yo-jong se destacou por fazer com que tudo corresse bem e desse certo no encontro. 

Chegada ao topo 

Os irmãos estudaram juntos na Suíça entre 1996 e 2000, em uma situação de isolamento, o que teria reforçado a ligação entre os dois. Yo-jong estudou ciência da computação e frequentou a academia militar. 

Anos depois, ela passou a atuar como uma das principais propagandistas da Coreia do Norte, ocupando a vice-direção de Propaganda e Agitação do Partido dos Trabalhadores, além de se tornar assessora e confidente de Kim Jong-un. 

Hoje, aos 31 anos, ela é uma alternativa à liderança do país.

Próxima líder da Coreia do Norte?

Em abril, a imprensa mundial começou a especular sobre o estado de saúde do líder norte-coreano após ele se ausentar da comemoração do aniversário do avô. 

O que se descobriu na época é que ele foi submetido a uma cirurgia cardiovascular e chegou a ficar em estado grave. Mas reapareceu semanas depois, no fim de maio, em uma reunião para discutir as capacidades nucleares do país, informou a mídia estatal. 

Durante o período em que esteve fora do radar, muitos começaram a se perguntar quem assumiria o comando do país caso o líder morresse. 

Para Michael Madden, especialista em liderança da Coreia do Norte, uma das possibilidades era que o país adotasse um modelo de liderança coletiva, com a condução de Yo-jong e um assessor próximo até que o herdeiro de Kim Jong-un tivesse idade suficiente para assumir o cargo.

Lourival Sant’Anna, analista da CNN, explicou em abril que Yo-jong provavelmente seria a sucessora do irmão, o que, segundo ele, seria bastante surpreendente e inovador, já que o país é conhecido por sua postura machista em relação às mulheres.

(Com Reuters)