Situação da Covid-19 na Bélgica é a pior de toda a Europa, diz ministro da Saúde

País tem uma das maiores taxas de mortalidade por 100 mil habitantes. Frank Vandenbroucke disse que situação em Bruxelas está 'perto de um tsunami'

De Barbara Wojazer, da CNN
20 de outubro de 2020 às 02:25 | Atualizado 20 de outubro de 2020 às 06:25
Bruxelas, capital da Bélgica
Foto: Kreutzfelder / Pixabay


A situação do novo coronavírus na região belga da Valônia e na capital Bruxelas está "perto de um tsunami", disse o ministro da saúde do país em uma entrevista à televisão local.

Frank Vandenbroucke advertiu que “a situação da saúde na Valônia e em Bruxelas é a pior e a mais perigosa de toda a Europa”.

Leia também:
Com sistema de saúde pressionado, Argentina atinge 1 milhão de casos de Covid-19

Até abril creio ter vacina suficiente a todos nos EUA, diz secretário de Saúde

A Bélgica está agora na lista da Universidade Johns Hopkins dos 10 países mais afetados pelo novo coronavírus, com o terceiro maior número de mortes relacionadas à Covid-19 por 100 mil pessoas no mundo, ficando atrás de San Marino e Peru, de acordo com dados da Universidade Johns Hopkins.

Vandenbroucke pediu a todos os belgas que se protegessem e aos seus familiares, acrescentando que a epidemia "não é culpa de ninguém, mas melhorar a situação é dever de todos".

No entanto, o ministro da Saúde defendeu a política do governo de instalar um toque de recolher a partir da meia-noite, e não no início da noite, dizendo que, apesar da gravidade da situação, o governo “não queria tornar a vida impossível”.