Os momentos-chave do último debate presidencial entre Trump e Biden

Republicano e democrata discutiram a pandemia do novo coronavírus, a interferência estrangeira nas eleições dos EUA, a imigração e muito mais

Da CNN
23 de outubro de 2020 às 00:51
Donald Trump e Joe Biden durante o último debate antes da eleição presidencial dos Estados Unidos
Foto: Reprodução/CNN (22.out.2020)

O presidente Trump e o candidato democrata Joe Biden se enfrentaram na noite desta quinta-feira (22) durante o último debate presidencial de 2020. Eles discutiram a pandemia do novo coronavírus, a interferência estrangeira nas eleições dos EUA, a imigração e muito mais.

Leia também:

Trump promete vacina 'em semanas' e Biden critica condução da pandemia nos EUA

Países que interferirem na nossa eleição pagarão, diz Biden

Obamacare: Futuro de programa de saúde opõe Biden e Trump em debate

Trump acena a eleitores negros, mas critica movimento Black Lives Matter

Aqui estão algumas frases e momentos importantes da noite:

Vivendo sob a pandemia de coronavírus

“Vai passar e, como eu disse, estamos dobrando a curva, estamos dobrando a esquina. Está indo embora”, disse Trump.

"[Trump] diz que estamos aprendendo a viver com isso. As pessoas estão aprendendo a morrer com isso", disse Biden.

Saúde

“As pessoas merecem ter assistência médica acessível, ponto final. Ponto final, ponto final, ponto final”, disse Biden. “E a proposta da Bidencare fornecerá isso.”

Trump há muito disse que iria revelar um plano para substituir o Obamacare e que continuaria a proteger aqueles com doenças pré-existentes. No entanto, ele ainda não o fez.

Interferência estrangeira nas eleições dos EUA

“Eles pagarão um preço se eu for eleito”, disse Biden, referindo-se especificamente à interferência de China, Rússia e Irã. “Eles estão interferindo na soberania americana. Isso é o que está acontecendo."

Trump disse que foi informado sobre os recentes esforços de interferência nas eleições e destacou a avaliação do diretor de Inteligência Nacional, John Ratcliffe, Irã e Rússia na verdade tentaram minar a candidatura de Trump. "Eu sabia sobre tudo isso", disse Trump.

Crianças separadas de seus pais na fronteira


“As crianças são trazidas aqui por coiotes e muitas pessoas más, cartéis, e são trazidas aqui e elas eram usadas para entrar em nosso país. Agora temos uma fronteira forte como nunca tivemos. São mais de 400 milhas de muro novo. Você vê os números. Deixamos as pessoas entrarem, mas elas têm que entrar legalmente", disse Trump. Sobre reunir essas crianças com suas famílias, Trump disse que seu governo tem um plano e "estamos trabalhando muito nisso - estamos tentando muito".

"Mais de 500 filhos vieram com os pais. Eles os separaram na fronteira para torná-los um desincentivo para começar. Somos durões. Somos muito fortes. E adivinhe. Eles não podem - não são coiotes. Seus pais estavam com eles. Eles se separaram de seus pais. E isso nos torna motivo de chacota e viola todas as noções de quem somos como nação", disse Biden. "Seus filhos foram arrancados de seus braços e separados. E agora eles não conseguem encontrar mais de 500 desses pais e essas crianças estão sozinhas. Sem nenhum lugar para ir. Sem nenhum lugar para ir. É criminoso. É criminoso."

Relacionamento com o líder norte-coreano Kim Jong-Un

“Tenho uma relação muito boa com ele. É um tipo diferente de cara, mas provavelmente ele pensa a mesma coisa sobre mim. Temos um tipo diferente de relacionamento. Temos um relacionamento muito bom. E não há guerra”, disse Trump.

“Ele falou sobre seu bom amigo que é um bandido, um bandido, e ele fala sobre como estamos melhores. E eles têm mísseis muito mais capazes, capazes de atingir o território dos EUA com muito mais facilidade do que antes”, disse Biden. Ele disse que só se encontraria com o líder norte-coreano "com a condição de que ele concordasse em esgotar sua capacidade nuclear".

Como o estado de Nova York respondeu à pandemia

Trump chamou a cidade de Nova York de "uma cidade fantasma", onde restaurantes "estão morrendo" devido aos fechamentos e seu governo liderado pelos democratas. “Se você for e olhar o que aconteceu com Nova York, é uma cidade fantasma. É uma cidade fantasma. E restaurantes estão morrendo. São negócios sem dinheiro”, disse o presidente.

Biden defendeu o estado de Nova York por conter o número de infecções e mortes por Covid-19. "Dê uma olhada no que Nova York fez em termos de virar a curva para baixo em relação ao número de pessoas morrendo. E eu não vejo isso nos termos que ele faz, estados democratas e estados republicanos. Eles são todos dos Estados Unidos ", disse Biden.

Fechar a economia dos EUA novamente devido à Covid-19

“Não podemos fechar nossa nação”, disse Trump. “Não podemos nos trancar em um porão, como Joe faz.”

Biden, por sua vez, usou uma nova linha, sugerindo que seu objetivo não era manter o país fechado. “Acabe com o vírus, não com o país”, disse ele.

(Texto traduzido. Clique aqui e leia o original em inglês).