Ladrões levam uvas de vinhedo canadense e dono oferece vinho por pista do crime

Meia tonelada de uvas foram roubadas, o equivalente a 300 garrafas de vinho

Amy Woodyatt, da CNN
27 de outubro de 2020 às 12:42 | Atualizado 27 de outubro de 2020 às 14:02
Vinhedo Vignoble Coteau Rougemont, no Canadá
Foto: Cortesia Coteau Rougemont

Quando os trabalhadores chegaram ao vinhedo Vignoble Coteau Rougemont, no Canadá, na manhã de quinta-feira (22), prontos para colher as últimas uvas da temporada, ficaram em choque. 

Ao remover as redes de suas vinhas cuidadosamente cultivadas, descobriram que ladrões haviam invadido o local durante a noite, roubando meia tonelada de uvas, o equivalente a mais de 300 garrafas de vinho.

“Pela manhã, meus funcionários entraram na propriedade e começaram a retirar as redes. Quando chegaram na fileira, perceberam que em metade da fileira as redes já haviam sido retiradas”, contou Michel Robert, dono do vinhedo familiar em Rougemont, Quebec. “Quando olharam de perto, notaram que não havia mais uvas na fileira”.

Ladrões levaram 500 quilos de uvas do local, deixando as vinhas nuas
Foto: Cortesia Coteau Rougemont

Os ladrões roubaram meia tonelada de uvas Vidal blanc, o suficiente para produzir 325 garrafas de vinho branco, vendidas a US$ 5.000 dólares canadenses (cerca de R$ 21,5 mil) no total, disse Robert. 

Robert contou à CNN que acha que os ladrões usaram uma caminhonete, sacos de lixo e um pequeno trailer para fugir com as uvas no meio da noite. Eles abandonaram um saco de lixo como prova de suas façanhas. 

“As pessoas ficaram surpresas, chocadas, frustradas, com raiva – todos os adjetivos possíveis. É o trabalho de seis meses. Você trabalha seis meses, cuida das vinhas, poda, pulveriza, faz todo tipo de tratamento para colher os frutos. E seis meses depois, você está pronto para pegá-lo e ele se foi”, acrescentou.

Leia também:
Calor extremo nas casas vira desafio para arquitetos
Voo mais longo do mundo está de volta – e ficou ainda maior

“Meia tonelada é meia tonelada, e contávamos com essas uvas para produzir vinho”.

Robert disse que o vinhedo fez uma queixa oficial na polícia, mas não acha que as uvas podem ter sido roubadas por outro produtor de vinho. Na verdade, ele tem suas próprias suspeitas sobre quem roubou a colheita. 

As uvas Vidal são retratadas na videira antes da colheita programada
Foto: Cortesia Coteau Rougemont

“Provavelmente é alguém que queria fazer vinho em sua garagem ou porão", afirmou, acrescentando: “Eu diria que um vinicultor amador decidiu testar suas habilidades com nossas uvas”.

“Não é um fato comum. Temos alguns lotes que estão perto de casas, às vezes você vai lá e nota que algumas uvas foram retiradas, mas não nessa magnitude”, disse.

O vinhedo, que produz cerca de 150 toneladas de uvas por ano, está oferecendo uma recompensa de cinco caixas de vinho a quem puder ajudar a rastrear as uvas perdidas.

Um porta-voz do serviço policial da Sûreté du Québec, Louis-Philippe Bibeau, disse à CNN que é muito incomum que esse tipo de furto aconteça e que não há suspeitos ou pistas importantes sobre o caso no momento. 

Houve vários relatos de tais crimes relacionados ao vinho. No ano passado, a agência de notícias The Local relatou que a polícia francesa estava designando oficiais para patrulhar e prevenir roubos de uvas na região da Borgonha. 

No início deste mês, a polícia na Itália desmantelou uma rede que produzia vinho Sassicaia falsificado. O Sassicaia, um super toscano, é considerado um dos melhores do mundo e vendido por centenas de euros a garrafa. 

Artemis Moshtaghian, da CNN, contribuiu para a reportagem. 

(Texto traduzido,clique aqui para ler o original em inglês).