França diz ter matado liderança da Al-Qaeda no norte da África

Governo francês diz que matou Bah ag Moussa, liderança da Al-Qaeda no norte da África, durante operação no Mali

Por Tangi Salaun, da Reuters
13 de novembro de 2020 às 04:13 | Atualizado 13 de novembro de 2020 às 05:46
O presidente francês Emmanuel Macron 
Foto: Twitter/ Reprodução


 

As forças francesas mataram Bah ag Moussa, um líder militar da ala norte da África da Al-Qaeda, durante uma operação no nordeste do Mali, disse a ministra das Forças Armadas do país europeu, Florence Parly, na sexta-feira.

O ex-coronel do exército do Mali, também conhecido como Bamoussa Diarra, era um braço direito de Iyad Ag Ghali, o líder do grupo jihadi mais proeminente do Mali, Jama'at Nusrat al-Islam wal-Muslimin (JNIM), que atacou repetidamente soldados e civis no Mali e no vizinho Burkina Faso.

Leia também:
Quem é Simone Barreto Silva, a brasileira vítima do ataque na França

Lourival Sant'Anna: homens árabes têm dificuldade de pertencimento na França

"Uma figura histórica do movimento jihadista no Sahel, Bah ag Moussa é considerado responsável por vários ataques contra o Mali e as forças internacionais", disse Parly em nota.

Moussa, que estava na lista de terrorismo dos EUA, foi morto na terça-feira após uma operação envolvendo tropas terrestres e helicópteros e vem depois de uma série de operações que viram as forças francesas matarem dezenas de combatentes islâmicos nas últimas semanas.

"Esse é um grande sucesso na luta contra o terrorismo", disse Parly.

A França, ex-potência colonial, tem mais de 5.100 funcionários espalhados pela região, com uma grande parte no Mali operando contra o aumento da militância.

(Reportagem de Tangi Salaun; Escrita de John Irish; Edição de Sudip Kar-Gupta)