Por que Donald Trump já é o candidato republicano em 2024

Uma nova pesquisa do instituto Gallup nos Estados Unidos descobriu que 87% dos eleitores que se identificam como republicanos aprovam o desempenho do presidente

Análise por Harry Enten , da CNN
28 de dezembro de 2020 às 09:38
O atual presidente dos EUA, Donald Trump, na Casa Branca
O atual presidente dos EUA, Donald Trump, na Casa Branca
Foto: Hannah McKay - 24.nov.2020 / Reuters

Uma nova pesquisa do instituto Gallup nos Estados Unidos descobriu que 87% dos eleitores que se identificam como republicanos aprovam o desempenho do presidente Donald Trump na presidência.

Uma média das pesquisas feitas desde a eleição, conduzidas ao vivo (seguindo normas que atendem aos padrões da CNN), aponta um índice de aprovação de 89% de Trump entre os republicanos.

A questão, aqui, é que a derrota de Trump em 2020 deveria, em tese, levar a um vácuo de poder nas fileiras republicanas. A última pessoa a ganhar a indicação de partido para candidatura depois de perder uma eleição presidencial foi Richard Nixon em 1968 (que até então nunca havia ocupado o posto na Casa Branca). Já o último presidente a conseguir esse feito foi Grover Cleveland em 1892.

Uma olhada nos dados revela, no entanto, que Trump está em uma posição excepcionalmente forte para manter seu controle sobre o partido. Até prova em contrário, Trump deve ser considerado o favorito para a candidatura do Partido Republicano de 2024 para presidente.

Na última eleição, em novembro de 2020, Trump ganhou o voto da maior parte dos eleitores que se identificaram como republicanos já registrada na era das pesquisas (94%).

Leia também:
Em 2021, o Congresso quer andar com as reformas que ficaram paradas em 2020
Vice-presidente Hamilton Mourão testa positivo para a Covid-19
“O pior está por vir”, afirma Anthony Fauci em relação à pandemia da Covid-19

As pesquisas desde a eleição mostram pouca ou nenhuma redução dessa força entre os republicanos. Entre seu próprio partido, a média de 89% de aprovação de Trump nas pesquisas ao vivo e as de 87 e 90% nas duas pesquisas pós-eleitorais do Gallup são as mais fortes para qualquer presidente que perdeu uma candidatura para um segundo mandato desde que pesquisas começaram a ser feitas de forma sistemática.

Gerald Ford (presidente entre 1974 e 1977) entrou com um índice de aprovação de 80% entre os republicanos na pesquisa Gallup de dezembro de 1976. Seu sucessor, o democrata Jimmy Carter (presidente entre 1977 e 1981), estava com apenas 50% entre os democratas nos números da Gallup de novembro e dezembro de 1980.

George H. W. Bush (presidente entre 1989 e 1993) teve em média um índice de aprovação de 84% entre os republicanos de novembro de 1992 a janeiro de 1993 nas pesquisas do Gallup.

Em outras palavras, nenhum presidente perdedor na era das pesquisas deixou a Casa Branca com mais boa vontade entre seu eleitorado potencial de seu partido do que Trump.

Além disso, uma pequena pesquisa sobre as primárias republicanas de 2024 publicada após a eleição mostra Trump como o favorito.

Ele tem uma média de cerca de metade dos votos das primárias do partido – e nenhum outro pré-candidato chega a 20%.

Mesmo assim, isso pode não impedir outros candidatos de concorrer à indicação. Nem garante de forma alguma que ele será o candidato republicano em 2024 à presidência. Afinal, estamos em 2020.

Leia também:
União Europeia começa a vacinar sua população contra o novo coronavírus
Elefantes distribuem máscaras em escolas na Tailândia
Putin decide se vacinar contra o novo coronavírus, diz Kremlin

Ainda assim, nenhum outro candidato que eventualmente concorreu e tão bem quanto Trump neste momento nas pesquisas perdeu as primárias de seu partido. Na verdade, os outros dois candidatos a obterem o mesmo nível de Trump hoje e que conseguiram dar o salto foram Al Gore em 2000 e Hillary Clinton em 2016.

Os números de Gore e Clinton eram tão fortes que assustaram a maioria dos candidatos de disputar as primárias.

Os outros presidentes que perderam (Ford, Carter e Bush) não chegaram perto de igualar os números iniciais de Trump. Ford estava com 20% e atrás de Ronald Reagan nas pesquisas do Gallup de 1977. Carter estava com 13% e atrás de Ted Kennedy e Walter Mondale nas pesquisas Gallup no início de 1982.

O nome de Bush entrou tão tarde na convenção republicana de 1996 que nenhuma pesquisa anterior parece tê-lo listado como candidato em potencial. Uma pergunta aberta (aquela em que os respondentes oferecem uma resposta voluntária) de uma pesquisa de 1993 da CBS News/New York Times revelou que apenas 4% dos republicanos disseram que Bush seria a escolha deles em 1996. Ele ficou em quarto lugar, atrás de Bob Dole (que ganhou a indicação), Jack Kemp e Ross Perot. A eleição em si foi vencida pelo democrata Bill Clinton.

Na verdade, perder uma campanha geralmente prejudica as perspectivas futuras de um presidente. A maioria dos republicanos, porém, afirma que o presidente eleito Joe Biden só venceu por causa de fraude eleitoral.

Em outras palavras, o fascínio de Trump como vencedor ainda é verdadeiro para eles.

Até que outro republicano seja capaz de perfurar essa mística ou Trump anunciar que não está concorrendo, será difícil vencê-lo no partido.

(Texto traduzido, clique aqui para ler o original em inglês).