11 fatos sobre a Geórgia que poucas pessoas sabem

A Geórgia entra no centro das atenções políticas com duas eleições de segundo turno que irão determinar qual partido controla o Senado dos EUA

Ryan Prior, da CNN
05 de janeiro de 2021 às 16:48
Estudantes organizam local de votação em Michigan
Estudantes organizam local de votação
Foto: Reprodução - 20.out.2020 / Reuters

A Geórgia está na mente de todos ultimamente, como canta Ray Charles.

Em novembro, o presidente-eleito Joe Biden tornou-se o primeiro democrata em 28 anos a vencer no estado. Nesta semana, a Geórgia novamente entra no centro das atenções políticas com duas eleições de segundo turno que irão determinar qual partido controla o Senado dos EUA.

Leia mais:
Biden faz campanha para democratas em Atlanta antes do segundo turno nesta terça
Futuro econômico dos EUA está em jogo na Geórgia, e investidores estão aflitos
Às vésperas de certificação da vitória de Biden, Trump pressiona Pence

Já que todos os olhos estão voltados para a Geórgia, achamos que seria um bom momento para compartilhar algumas curiosidades que você talvez não conheça sobre o estado do sul dos EUA, cujo apelido é Peach State (Estado do Pêssego).

O lado bom

  • Em 1943, a Geórgia tornou-se o primeiro estado a diminuir a idade legal para votar, de 21 para 18 anos.
  • Na cidade de Athens, há uma árvore que é dona de si mesma. O Junior Ladies Garden Club é responsável pelos cuidados deste carvalho branco muito especial.

  • A Geórgia é o lar da Wesleyan College, a primeira faculdade do mundo licenciada para conceder diplomas a mulheres.

Wesleyan College
Wesleyan College foi a primeira faculdade do mundo a poder conceder diplomas a mulheres
Foto: Bob Andres/Atlanta Journal-Constitution
  • A Berry College também está localizado na Geórgia. A faculdade tem o maior campus contíguo do mundo (são 11 hectares!).

  • A maior empresa de propriedade negra está na Geórgia: Tyler Perry Studios.

  • Localizado em Midtown Atlanta, The Varsity é considerado o maior restaurante drive-in do mundo. Fundado em 1928, este gigantesco restaurante de fast-food pode acomodar 800 pessoas.

The Varsity
The Varsity, restaurante em Atlanta
Foto: Divulgação/The Varsity
  • A Universidade Georgia State concede mais diplomas de bacharelado para estudantes negros do que qualquer outra instituição nos EUA.

  • Em 1912, o programa feminino do escotismo, o Girl Scouts, nasceu em Savannah, Georgia.

Girl Scouts
Juliette Gordon Low criou as Garotas Escoteiras em 1912
Foto: Divulgação/Girl Scouts

 O lado ruim

  • A Geórgia abriga o Stone Mountain, um monumento para os ícones confederados Stonewall Jackson, General Robert E. Lee e presidente Jefferson Davis. Seus escultores incluem o artista que esculpiu o Monte Rushmore. O monumento é considerado a maior homenagem do mundo à supremacia branca.

Stone Mountain
Stone Mountain, monumento aos Confederados, grupo que defendia ideias supremacistas durante a Guerra Civil americana
Foto: Shutterstock
  • O trânsito em Atlanta é notoriamente terrível. Em 2020, o INRIX Global Traffic Scorecard afirmou que os motoristas gastam em média 82 horas por ano parados no trânsito da cidade.

Trânsito em Atlanta
O tráfego de veículos é complicado na capital da Geórgia
Foto: Science ATL
  • Um dos casos mais conhecidos de antissemitismo dos Estados Unidos aconteceu em Atlanta: o linchamento de Leo Frank em 1915. 

Funeral de Leo Frank
Leo Frank era judeu e foi assassinado em um ato de antissemitismo
Foto: Foward Photo

As cicatrizes desse ato de terror não se dissiparam entre a comunidade judaica. Em 1958, um grupo de supremacistas brancos chamado “Confederate Underground” (“Subterrâneo Confederado”) explodiu uma bomba em uma das maiores e mais significativas sinagogas da cidade.

(Texto traduzido. Leia o original em inglês).