Policial do Capitólio é a quinta pessoa a morrer após invasão

Chefe da polícia do Capitólio renunciou ao cargo

da CNN, em São Paulo
07 de janeiro de 2021 às 22:00


Subiu para cinco o número de mortos em decorrência do ataque de apoiadores do presidente Donald Trump ao Capitólio dos Estados Unidos na quarta-feira (6). Autoridades confirmaram nesta quinta (7) a morte de um policial que trabalhava no momento da invasão.

O protesto pró-Trump, que contestava o resultado das eleições dos Estados Unidos e a vitória do democrata Joe Biden, descambou para a violência e invasão do Congresso norte-americano. 

O chefe da polícia do Capitólio, Steven Sund, renunciou ao cargo após ser criticado pela resposta desastrosa à invasão. A renúncia passa a valer a partir do dia 16 de janeiro.

A segurança do local tem dois mil funcionários, mas o efetivo era bem menor na quarta-feira.

Sund chegou a dizer que muitos integrantes da equipe de segurança estavam afastados porque foram infectados pelo novo coronavírus ou porque tiveram contato com alguém infectado.

No entanto, policiais disseram à imprensa norte-americana que não tiveram orientação para agir durante todo o ataque à sede do Congresso do país.

Assista e leia também:

Proud Boys: o que é grupo de ultradireita que ajudou na invasão do Capitólio

O que é QAnon e como surgiu o grupo ligado à invasão no Capitólio

Mulher morta no Capitólio era veterana das Forças Armadas e apoiadora de Trump

Apoiadores de Trump invadiram o prédio do Capitólio, em Washington D.C.
Apoiadores de Trump invadiram o prédio do Capitólio, em Washington D.C.
Foto: Reprodução/Twitter

(Publicado por Sinara Peixoto)