Explosão destrói prédio no centro de Madri e deixa três mortos

Causas da explosão ainda são desconhecidas

Letícia Brito Silva*, da CNN, em São Paulo
20 de janeiro de 2021 às 11:32 | Atualizado 20 de janeiro de 2021 às 20:00

 

Uma forte explosão sacudiu o centro de Madri, na Espanha, nesta quarta-feira (20). Diversos andares de um prédio na região de Toledo, no centro da cidade, ficaram destruídos. As causas ainda não são conhecidas. Três pessoas morreram no acidente e pelo menos 11 ficaram feridos, quatro em estado grave.

O edifício abriga a Paróquia de la Virgen de la Paloma y San Pedro el Real. Segundo fontes do governo, a principal suspeita é de um vazamento de gás.

Pelas redes sociais, o Gabinete de Emergências da Prefeitura de Madri informou o envio de 11 unidades do Samur (veículos de atendimento de emergência) para o local para conter os estragos da explosão.

Idosos de uma casa de repouso que fica ao lado do edifício danificado foram retirados pelas autoridades por precaução. 

As autoridades espanholas disseram que uma mulher de 85 anos morreu na explosão, e o Ministério das Relações Exteriores da Bulgária disse que uma das vítimas era um cidadão búlgaro de 47 anos.

"Eu ouvi e senti a explosão, mas não sabia de onde veio", disse Isabel Romero local, cujo filho de 8 anos é aluno de uma escola próxima ao prédio onde a explosão ocorreu. "Todas as janelas de uma das salas de aula se estilhaçaram e as crianças ficaram muito abaladas."

Os bombeiros ainda estavam no local tarde da noite, com os serviços de emergência de Madrid tuitando: "O estado (do prédio) ainda não foi determinado e o gás está queimando em uma taxa controlada."

O eletricista David Santos Muñoz, 35, pai de quatro filhos, foi identificado como um dos mortos, disse a arquidiocese de Madrid em um tweet, dizendo que ele havia ido ao prédio da paróquia no início do dia para dar uma mão.

Equipes de resgate trabalham no centro de Madri, após explosão em prédio
Equipes de resgate trabalham no centro de Madri, após explosão em prédio
Foto: Reprodução/Redes Sociais

O prédio era um complexo que fornecia treinamento residencial para padres e também alimentava moradores de rua, disse um vizinho.

Os cinco andares superiores foram totalmente destruídos, com as paredes explodidas, enquanto os dois andares inferiores ainda estavam quase intactos, mas carbonizados em alguns lugares pelas chamas.

Das 11 pessoas feridas, quatro foram hospitalizadas, uma com graves lesões torácicas e ortopédicas e cuja condição foi considerada grave.

*Sob supervisão de André Rigue. Com informações da Reuters