'A vacinação contra Covid-19 começará na próxima semana', diz presidente do Irã

País foi um dos mais atingidos pela pandemia do novo coronavírus

Da Reuters
23 de janeiro de 2021 às 21:50 | Atualizado 23 de janeiro de 2021 às 21:52
"Vacinas estrangeiras são uma necessidade", diz o presidente do Irã, Hassan Rouh
"Vacinas estrangeiras são uma necessidade", diz o presidente do Irã, Hassan Rouhani
Foto: Divulgação

O presidente do Irã, Hassan Rouhani disse neste sábado (23) que as vacinações contra a Covid-19 começarão nas próximas semanas. O país foi um dos mais atingidos pela pandemia no Oriente Médio.

"As vacinas estrangeiras são uma necessidade até que as vacinas locais estejam disponíveis", disse Rouhani em programa de televisão, sem dar detalhes sobre quais imunizantes estrangeiros serão usados.

Seus comentários foram feitos quando as mortes diárias pelo novo coronavírus caíram  nos últimos meses e as autoridades anunciaram que não havia mais "cidades vermelhas" de alto risco no país.

No início deste mês, o líder supremo, aiatolá Ali Khamenei, a autoridade máxima do Irã, proibiu o governo de importar vacinas dos Estados Unidos e do Reino Unido, que ele disse estarem possivelmente tentando espalhar a infecção a outros países.

O próprio Rouhani, em cumprimento à proibição de Khamenei, disse na época que seu governo compraria "vacinas estrangeiras seguras".

O Irã começou testes em humanos de sua primeira vacina candidata no mês passado. O imunizante poderá ajuda no combate a pandemia, uma vez que as sanções dos Estados Unidos afetam a capacidade do país de importar vacinas.

"Tem havido bons movimentos no campo das vacinas locais e estrangeiras", disse Rouhani, acrescentando que três vacinas domésticas - Barekat, Pasteur e Razi, algumas das quais foram desenvolvidas com colaboração estrangeira - podem começar na primavera e no verão no país.