Chile lamenta pânico causado por alerta equivocado de tsunami após terremoto

Tremor de 7,1 graus de magnitude na Antártica levou a evacuação de cidades chilenas. Posteriormente, governo citou erro técnico e pediu perdão por falso alarme

Por Aislinn Laing e Fabian Cambero, da Reuters
24 de janeiro de 2021 às 01:31
Gabinete Nacional de Emergências (Onemi) do Chile cancela alerta
Gabinete Nacional de Emergências (Onemi) do Chile cancela alerta em mensagem nas redes sociais
Foto: Twitter/ Reprodução


Autoridades chilenas disseram neste sábado (23) que lamentam ter espalhado o pânico com um alerta de tsunami equivocado pedindo que as pessoas saiam das áreas costeiras após um terremoto na Antártica.

O Ministério do Interior disse no Twitter que um tremor de magnitude 7,1 ocorreu 216 km a nordeste da base científica chilena O'Higgins e pediu a evacuação das regiões costeiras da Antártida devido ao risco de tsunami.

O ministério também enviou uma mensagem para celulares em todo o país pedindo às pessoas que abandonassem as áreas costeiras, embora o ministério tenha dito mais tarde que o envio foi por engano.

 

"Queremos dar paz de espírito à população, dizer-lhes que não é necessário evacuar todo o território nacional, apenas a base antártica", disse Miguel Ortiz, do Gabinete Nacional de Emergências do ministério (Onemi), em entrevista coletiva.

Ele disse que a agência lamenta os transtornos causados ??por suas mensagens, que ele atribui a um erro técnico.

O alerta de tsunami para a Antártica foi retirado posteriormente.

Pessoas em cidades costeiras, incluindo La Serena, ao norte de Santiago, e Valparaíso, começaram a deixar áreas próximas à costa após o aviso, até que começaram a aparecer relatórios de que era um alarme falso.

Mas enquanto os chilenos reagiam ao alerta, um segundo tremor, de magnitude 5,6, atingiu a região da fronteira Chile-Argentina, às 9h07, informou o Centro Alemão de Pesquisa de Geociências GFZ, a 133 km e 30 km a leste de Santiago.

Nenhum dano foi relatado em nenhum dos terremotos.

Sernageomin disse que após o primeiro terremoto, 80 pessoas foram evacuadas da base principal do Chile na Antártica, a Base Presidente Eduardo Frei Montalva, na Península de Fildes, a oeste da Ilha Rei George, e mais 55 de três outras bases, junto com cinco bases estrangeiras.