Mais de 97% da mortes em Israel por Covid-19 foram de pessoas não vacinadas

Primeiro Ministro Benjamin Netanyahu diz que menos de 3% das 1.536 pessoas que morreram da doença no país nos últimos 30 dias tinham sido imunizadas

Da CNN, em São Paulo
09 de fevereiro de 2021 às 10:19
Primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, recebe vacina contra Covid-19
Primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, recebe dose da vacina contra Covid-19
Foto: Miriam Elster - 9.jan.2021/Reuters

Mais de 97% das mortes causadas pela Covid-19 em Israel nos últimos 30 dias foram de pessoas não vacinadas contra a doença, disse nesta terça-feira (9) o primeiro-ministro Benjamin Netanyahu.

"Quero dar-lhes um fato chocante: no último mês – nos últimos 30 dias - 1.536 pessoas – morreram (de Covid-19) no Estado de Israel. Mais de 97% delas não foram vacinadas. Menos de 3% foram vacinados", disse Netanyahu.

A campanha de vacinação em Israel começou em 19 de dezembro com foco em israelenses com mais de 60 anos e outros grupos de alto risco. 

O país, desde então, reduziu a idade mínima de vacinação para 16 anos, mas vê menos urgência entre os mais jovens que são menos propensos a complicações perigosas do novo coronavírus.

As autoridades israelenses também acreditam que algumas pessoas são influenciadas por rumores de possíveis efeitos colaterais duradouros das vacinas.

Afirmando que o ceticismo sobre a vacina é "notícia falsa", Netanyahu acrescentou: "Somos uma nação de vacinação. Temos vacinas para todos os cidadãos, para todos ... Se você for se vacinar, estará salvando sua vida". 

"Estamos em uma emergência nacional", completou Netanyahu, em sua fala aos repórteres.

Cerca de 38% da população de 9 milhões de Israel recebeu pelo menos uma dose da vacina, disse o Ministério da Saúde israelense. 

Mas a meta do governo de alcançar 50% de cobertura e reabrir a economia no mês que vem está mais distante agora à medida que o ritmo diário de vacinação diminui.

(Com informações da Reuters)