Confronto China-EUA seria um 'desastre', diz Xi Jinping em 1º telefonema a Biden

Presidente dos EUA e China conversaram em momento no qual países se enfrentam sobre questões comerciais, Hong Kong, Mar da China Meridional, Taiwan

Da CNN*
11 de fevereiro de 2021 às 02:31 | Atualizado 11 de fevereiro de 2021 às 19:13

 O confronto entre a China e os Estados Unidos seria um desastre e os dois lados deveriam restabelecer os meios para evitar "erros de julgamento", disse o presidente chinês Xi Jinping a seu homólogo americano Joe Biden durante o primeiro telefonema entre os dois desde que Biden assumiu o poder, em janeiro.

A chamada foi realizada na quinta-feira (horário da Ásia), mas na quarta-feira 910) em Washington. O contato ocorre no momento em que Pequim e Washington se enfrentam sobre questões comerciais, Hong Kong, Mar da China Meridional, Taiwan e relatos de crimes de direitos humanos contra muçulmanos uigures a região de Xinjiang.

 

Xi reiterou durante a conversa que a cooperação é a única opção e que os dois países precisam administrar adequadamente as disputas de forma construtiva, segundo relatos da conversa divulgados pela televisão estatal chinesa.

O líder chinês também disse que Pequim e Washington devem restabelecer vários mecanismos de diálogo para entender as intenções uns dos outros e evitar mal-entendidos.

Ainda na conversa, Xi também disse a Biden que espera que os Estados Unidos lidem com cautela com assuntos relacionados a Taiwan, Hong Kong e Xinjiang que tratam de questões de soberania e integridade territorial da China

Segundo um alto funcionário da Casa Branca, Biden priorizou as questões econômicas e militares e mencionou áreas potenciais de cooperação, incluindo mudança climática e proliferação nuclear, enquanto chamava a China para uma série de questões relacionadas ao uso de tecnologia, comércio injusto e abusos dos direitos humanos.

O oficial disse antes da ligação que Biden também acusaria Xi de abusos dos direitos humanos de uigures, uma minoria muçulmana chinesa, e ações hostis contra Hong Kong.

Biden planejou "indicar que não se trata apenas de valores americanos, mas de valores universais", disse o alto funcionário antes do telefonema.

Uma leitura da chamada feita pela Casa Branca na noite de quarta-feira disse que Biden "afirmou suas prioridades de proteger a segurança, prosperidade, saúde e estilo de vida do povo americano, e preservar um Indo-Pacífico livre e aberto".

* Com informações de Se Young Lee, da Reuters; e Por Vivian Salama, da CNN