Governador do Texas bloqueia tentativas de Biden para testar imigrantes

Após relaxar as restrições estaduais ao Covid-19, o governador Abbott alegou que imigrantes espalham o contágio do vírus

Priscilla Alvarez, da CNN
06 de março de 2021 às 15:31
Greg Abbott governador do texas
Greg Abbott, governador do Texas: político alegou, sem evidências, que imigrantes são responsáveis pela Covid-19 no estado
Foto: Getty Images

 O governador do Texas, Greg Abbott, está bloqueando os esforços do presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, para criar um fundo para financiar testes da Covid em imigrantes da custódia da Patrulha de Fronteira, disse um oficial de segurança à CNN.

Depois de relaxar as restrições estaduais à Covid-19 nesta semana, Abbott alegou, sem evidências, que os imigrantes que entram no Texas expõem os residentes do estado ao coronavírus.

“O Governo Biden libertou imigrantes no sul do Texas que expuseram os texanos ao Covid”, disse o republicano Abbott em entrevista à CNBC na última quinta-feira (4).

Contudo, nos bastidores, o Departamento de Segurança Interna (DHS, na sigla em inglês) retransmitiu ao gabinete do governador os planos de obter ajuda para cidades e condados e mitigar a disseminação do Covid-19, de acordo com o oficial.

Os planos do Governo Biden

O DHS já estabeleceu planos para usar fundos da Agência Federal de Gerenciamento de Emergências (FEMA, na sigla em inglês) para apoiar o trabalho de teste, isolamento e quarentena, se necessário, de imigrantes libertados da custódia. 

No entanto, o Estado deve aprovar a utilização do dinheiro do subsídio antes que ele possa ser distribuído às comunidades fronteiriças. A CNN relatou anteriormente que havia planos em andamento para usar os fundos da FEMA para ajudar as localidades a adquirirem testes.

“A segurança nas fronteiras é uma responsabilidade estritamente federal. Apenas o governo federal tem a responsabilidade de testar, examinar e colocar em quarentena os imigrantes ilegais que cruzam nossa fronteira e podem ter Covid”, disse Abbott em comunicado. 

“Em vez de fazer seu trabalho, o Governo Biden sugeriu que eles não tinham recursos suficientes e, principalmente, pediu ao Texas ajuda em seu programa de imigração ilegal. Texas recusou”, completou.

Texas suspende as restrições

Abbott anunciou na terça-feira (2) que suspenderia o mandato de uso obrigatório de máscara no Texas, mesmo com as autoridades de saúde alertando que as restrições não devem ser relaxadas. O governador também anunciou que todos os negócios poderão operar 100% a partir de 10 de março.

Quando questionado sobre os esforços do governo federal para testar imigrantes para Covid-19, a secretária de imprensa da Casa Branca Jen Psaki disse: “No geral, nosso foco e política é trabalhar com governos locais, trabalhar com ONGs para garantir (...) que esses migrantes sejam testados. E isso pode ser feito e medidas são tomadas para isolamento, quarentena e cuidados médicos, se necessário”.

Em comunicado enviado à CNN na sexta-feira (5), um porta-voz do DHS disse que o departamento tem trabalhado com prefeitos locais e funcionários de saúde pública do Texas para fornecer o teste de Covid-19. No acordo com os parceiros, solicitou-se fundos federais para cobrir as despesas e a quarentena.

“Esperamos que o governador Abbott reconsidere sua decisão de rejeitar o acordo do DHS com as autoridades locais do Texas, que permitiria [testar] famílias de migrantes que o governador Abbott diz querer”, afirmou o porta-voz.

A situação na fronteira

A administração Biden ainda depende fortemente de uma política da era Trump na fronteira EUA-México para afastar a grande maioria dos migrantes encontrados pela Patrulha de Fronteira. 

Porém, o México deixou de aceitar que algumas famílias fossem devolvidas ao país. Essa mudança, junto com o distanciamento social nos centros de detenção dos EUA, fez com que faltasse espaço nos locais de detenção de imigrantes. Isso, por sua vez, forçou os funcionários da Alfândega e Proteção de Fronteiras (CBP, na sigla em inglês) a libertarem famílias nos Estados Unidos.

A agência disse, em comunicado, que os funcionários verificam os sintomas de Covid-19 e “consultam a equipe médica no local, os Centros de Controle e Prevenção de Doenças ou os sistemas de autoridades de saúde locais, conforme apropriado”.

Na cidade de McAllen, no Texas, as autoridades municipais pediram às autoridades estaduais milhares de testes para a Covid-19 em janeiro, depois de saber que o CBP não estava testando os migrantes. A Catholic Charities, que é uma rede de instituições de caridade, realizou os testes. Se o teste dos imigrantes for positivo, a organização os ajuda na quarentena em um hotel local.

Solicitações de teste

Na quinta-feira (4), a Divisão de Gerenciamento de Emergências do Texas disse à CNN que recebeu pedidos de testes de Covid-19 de oficiais locais em comunidades fronteiriças. E que as solicitações foram aceitas.

“Desde o final de janeiro, o estado forneceu 40 mil testes de Covid-19 para Brownsville, McAllen, Laredo e Del Rio para atender à necessidade de testes que o governo federal não está tratando”, disse em comunicado Seth W. Christensen, chefe da Agência de Mídia e Comunicações.

O prefeito de Brownsville, Juan “Trey” Mendez III, declarou na quinta-feira (4) que 108 migrantes de um total de 1.700 testaram positivo para Covid-19 na cidade. Ele considerou que este número não é alarmante, apesar das críticas de funcionários estaduais. 

Mendez disse que Brownsville recebeu cerca de 10 mil testes da Divisão de Gerenciamento de Emergências do Texas. Desse total, a cidade administrou cerca de dois mil.

“Temos uma taxa de positividade de pouco mais de 6%”, disse Mendez, acrescentando que esse número está no mesmo nível do vem sendo visto em todo o estado.

Em janeiro, os dados mensais mais recentes da agência apontaram cerca de 7.500 famílias na fronteira EUA-México. Espera-se que esse número aumente, pressionando os recursos.

Para expandir a capacidade, a agência abriu uma instalação semipermanente em Donna, Texas, e está construindo outra em Eagle Pass, no mesmo estado. Além disso, mais quatro dessas instalações estão sendo consideradas, embora os locais não tenham sido definidos, segundo um oficial sênior do DHS. Agentes adicionais da Patrulha de Fronteira também estão sendo selecionados para auxiliar no processo.

Ashley Killough e Jamiel Lynch da CNN contribuíram para esta matéria

Este texto é uma tradução. Clique aqui para ler a versão original