Golpe militar: Freira se ajoelha em Mianmar e pede que polícia não use violência

O golpe ocorrido em fevereiro e a prisão da líder eleita Aung San Suu Kyi mergulharam o país no caos

Pablo Relly, da CNN, em São Paulo
10 de março de 2021 às 10:16

Em meio aos protestos contra a junta militar que tomou o poder em Mianmar, uma freira se ajoelhou diante de policiais em uma cidade do país para pedir às forças de segurança que não pratiquem violência contra crianças e residentes.

Os militares dizem que a última eleição foi fraudada, o que é rejeitado pela comissão eleitoral.

Segundo testemunhas, na segunda-feira (8), dois manifestantes morreram em consequência de ferimentos à bala na cabeça.

O golpe militar ocorrido em fevereiro e a prisão da líder eleita Aung San Suu Kyi mergulharam Mianmar no caos. Desde o golpe militar, mais de 60 pessoas foram mortas e cerca de 1.900 foram presas -- segundo dados de grupos em defesa dos direitos humanos.

Freira se ajoelha em Mianmar e pede a policiais que não pratiquem violência
Freira se ajoelha em Mianmar e pede a policiais que não pratiquem violência
Foto: Reprodução/CNN

 

 Mianmar
Dois manifestantes morreram nos protestos em Mianmar na segunda-feira (8)
Foto: Reprodução/CNN