Conselheiro de Biden diz que EUA estudam formas de ajudar Brasil contra Covid-19

Anthony Fauci promete se reunir com autoridades brasileiras e, depois de analisar situação do país, buscar meios de ajudar no combate ao novo coronavírus

Murillo Ferrari e Alvaro Gadelha, da CNN, em São Paulo
24 de março de 2021 às 13:58 | Atualizado 24 de março de 2021 às 15:38

Anthony Fauci, imunologista e conselheiro do presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, afirmou nesta quarta-feira (24) que os Estados Unidos estudam formas de ajudar o Brasil no combate da pandemia do novo coronavírus.

“Sim, nós vamos nos encontrar com as autoridades brasileiras e vamos discutir os meios em que podemos ajudar. Eu gostaria de ver antes a apresentação deles da situação para que talvez possamos ajudá-los no futuro”, disse o infectologista, ao ser questionado por uma jornalista brasileira.

Na terça-feira (23), o Brasil registrou o maior número de mortes diárias pela Covid-19 em 24 horas: 3.251. O país totaliza 298.676 vítimas da doença causada pelo novo coronavírus e está atrás apenas dos EUA.

“Também precisamos lembrar que estamos assumindo um lugar ativo na Covax, com um comprometimento de US$ 4 bilhões. E então, após também solucionarmos a situação difícil do nosso país podemos pensar em fornecer as vacinas excedentes aos países necessitados", completou Fauci.

Anthony Fauci, conselheiro de Joe Biden, afirmou que EUA estudam formas de ajudar Brasil no combate à pandemia
Foto: Jonathan Ernst - 21.jan.2021/Reuters

Na mesma entrevista, o coordenador da força-tarefa contra a Covid-19 nos EUA disse estar preocupado com a situação da pandemia no Brasil.

“Temos conversado diariamente com pessoas no Brasil sobre o que está acontecendo lá, e não posso dar mais informações, além de que estamos profundamente engajados”, declarou Andy Slavitt.