Reino Unido bate meta e vacina todos os adultos acima de 50 anos

O sucesso da campanha de vacinação contra a Covid-19 no país possibilitou a abertura de pubs e restaurantes a partir desta segunda-feira (12)

Reuters
13 de abril de 2021 às 08:28 | Atualizado 13 de abril de 2021 às 12:47

 A Grã-Bretanha ofereceu a todos com mais de 50 anos a primeira dose das vacinas contra a Covid-19 e iniciou nesta terça-feira (13) a imunização com a vacina da Moderna na Inglaterra, disse o governo, que se prepara para aplicar doses em todos os adultos até o final de julho.

A Grã-Bretanha teve um dos lançamentos de vacinas mais rápidos do mundo, atrás apenas de Israel na proporção de sua população que recebeu pelo menos uma dose de uma vacina contra a Covid-19.

O governo britânico disse que já ofereceu pelo menos uma dose para os grupos prioritários de 1 a 9, que incluem todos os adultos com mais de 50 anos, os clinicamente vulneráveis ??e assistentes sociais e de saúde, antes da meta prevista para esta quinta-feira (15).

"Agora vamos prosseguir com a conclusão das segundas doses essenciais e progredir em direção à nossa meta de oferecer uma vacina a todos os adultos até o final de julho", disse o primeiro-ministro Boris Johnson em um comunicado.

A Grã-Bretanha diminuiu o ritmo das primeiras doses para garantir que as pessoas em grupos de alta prioridade recebam uma segunda dose, apesar de estar com os suprimentos de vacina mais baixos em abril do que em março.

Em um reforço ao fornecimento de vacinas para as primeiras doses, o início da campanha com a vacina da Moderna na Inglaterra começou nesta terça-feira (13), depois que as primeiras doses foram distribuídas no País de Gales na semana passada.

Profissional da saúde prepara vacina AstraZeneca-Oxford para aplicação
Profissional da saúde prepara vacina AstraZeneca-Oxford para aplicação
Foto: Valentyn Ogirenko/Reuters (5.mar.2021)

Já usada nos Estados Unidos e em outras partes da Europa, o imunizante da Moderna torna-se o terceiro a ser usado na Grã-Bretanha, depois da AstraZeneca e da Pfizer-BioNTech.

A Moderna usa a mesma tecnologia de mRNA das vacinas da Pfizer, mas pode ser armazenada em temperaturas normais de geladeira, ao contrário de sua vacina rival dos Estados Unidos, que deve ser mantida e enviada em temperaturas ultrabaixas.

O escritório de Johnson disse que o governo continua no caminho certo para oferecer a todos os adultos uma injeção até 31 de julho.

Na terça-feira, o Serviço Nacional de Saúde (NHS, na sigla em inglês) disse que pessoas com 45 anos ou mais agora podem marcar consultas para receber a vacina contra a Covid-19.

O sucesso da campanha de vacinação sustentou o plano de Johnson para sair do lockdown, que nesta segunda-feira (12) viu todas as lojas e restaurantes ao ar livre na Inglaterra reabrir, com alguns comemorando nas ruas à noite.

Coronavírus, quarentena, Inglaterra, Buckingham
Palácio de Buckingham em Londres, 26 de abril de 2020.
Foto: Henry Nicholls/Reuters

Adicionando cautela ao otimismo, o governo anunciou uma expansão dos testes nos bairros de Lambeth e Wandsworth, ao sul de Londres, para detectar casos da variante encontrada pela primeira vez na África do Sul.

Houve 74 casos confirmados e prováveis ??da variante do coronavírus, conhecida como B.1.351, nos bairros, e existe a preocupação de que as vacinas sejam menos eficazes contra ela.

"O importante será observar: se a variante sul-africana realmente dissemina, e provavelmente saberemos em cerca de duas a três semanas, talvez seja necessário fazer uma pausa para reabrir um pouco", James Naismith, professor de biologia estrutural na Universidade de Oxford e diretor do Rosalind Franklin Institute, disse à rádio BBC.

Com mais de 127.000 mortes, o Reino Unido tem o quinto maior número de mortes no mundo devido à Covid-19.