Assad e outros 2 candidatos disputarão eleição presidencial na Síria em maio

Tribunal Constitucional autoriza participação de dois adversários, embora seja quase certo que votação dará 4º mandato ao presidente – que governa desde 2000

Reuters
03 de maio de 2021 às 07:44 | Atualizado 03 de maio de 2021 às 07:48
Bashar al-Assad disputará eleição na Síria com outros 2 candidatos
Bashar al-Assad, que governa a Síria desde 2000, disputará eleição com outros 2 candidatos em 26 de maio
Foto: Alexei Druzhinin - 7.jan.2020/TASS via Getty Images

O Tribunal Constitucional da Síria aprovou nesta segunda-feira (3) o pedido do presidente Bashar al-Assad para disputar uma eleição presidencial de 26 de maio – que ele certamente vencerá.

O tribunal também autorizou a participação de outros dois candidatos, Abdallah Saloum Abdallah e Mahmoud Ahmed Marei, embora a vitória de Assad seja quase garantida – o que dará a ele um quarto mandato, estendendo seu governo por mais de duas décadas.

Assad governa desde 2000, sucedendo seu pai que tomou o poder em um golpe de 1970. A Síria vive uma guerra civil desde 2011, embora o governo de Assad tenha recapturado a maior parte do território que já foi mantido por rebeldes que tentavam derrubá-lo.

Pelas regras da eleição presidencial, os candidatos devem ter vivido na Síria nos últimos 10 anos, o que exclui a participação de figuras exiladas da oposição. As autoridades também prenderam vários ativistas que colocaram em dúvida a legitimidade da votação.

Washington e a oposição síria denunciaram a eleição como uma farsa com objetivo de dar legalidade ao governo autoritário de Assad.

Funcionários do alto escalão da ONU disseram neste mês que a eleição não cumpriu as resoluções do Conselho de Segurança, que pedem um processo político para encerrar o conflito na Síria, uma nova Constituição e eleições administradas sob a supervisão da ONU com os "mais altos padrões de transparência e responsabilidade".