México requisita documentos de Cortés que foram roubados e leiloados nos EUA

Historiadores mexicanos e espanhóis reclamam cartas escritas em 1521 como patrimônio histórico

Drazen Jorgic e Raúl Cortés Fernández, da Reuters, na Cidade do México
13 de maio de 2021 às 15:31 | Atualizado 13 de maio de 2021 às 15:43
Cartas do colonizador europeu Hernán Cortés
Cartas do colonizador europeu Hernán Cortés de 1521 leiloadas nos EUA
Foto: Archivo General de la Nación (AGN)/Cortesia de Maria del Carmen Martínez/Divulgação via REUTERS

Em setembro, uma casa de leilões da cidade norte-americana de Nova York teve um tesouro raro à venda: uma carta de cinco séculos que revela uma intriga política envolvendo Hernán Cortés, o famoso líder da força espanhola que colonizou o que hoje é o México.

Papéis de Cortés raramente chegam ao mercado. O documento de 1521 oferecido pela Swann Galleries deve obter entre 20 mil e 30 mil dólares – a menos que um grupo determinado de acadêmicos do México e da Espanha impeça a venda.

Analisando catálogos virtuais de casas de leilão globais e vasculhando um dos baús do tesouro pessoais de fotos de documentos coloniais espanhóis dos pesquisadores, eles rastrearam sua proveniência no Arquivo Nacional do México (AGN). Uma imagem da carta constante de um projeto de genealogia mórmon desempenhará um papel secundário.

Além disso, os detetives amadores descobriram nove documentos adicionais ligados a Cortés que foram vendidos entre 2017 e 2020 em Nova York e Los Angeles por casas de leilão – como as conhecidas empresas britânicas Bonhams e Christie's – que agora se confirmou estarem ausentes do AGN, disseram autoridades da entidade sediada na Cidade do México à Reuters. Segundo elas, alguns destes papeis, outrora encadernados em livros de couro antigo, foram retirados cirurgicamente, como com um bisturi.

"É escandaloso", disse María Isabel Grañén Porrúa, figura cultural mexicana proeminente e estudiosa de livros coloniais espanhóis do Século 16. "Estamos preocupados não somente com este roubo, mas também com todos os outros roubos e pilhagens da herança nacional."