Domo de Ferro: é assim que funciona o sistema antimísseis do exército de Israel

Durante os confrontos entre israelenses e palestinos , militantes palestinos dispararam mais de 1.600 foguetes, disse Jonathan Conricus, porta-voz das IDF

Por José Levy e Michael Martinez, da CNN
15 de maio de 2021 às 11:18 | Atualizado 15 de maio de 2021 às 13:22
Sistema antimísseis de Israel intercepta foguetes lançados da Faixa de Gaza 10/0
Sistema antimísseis de Israel intercepta foguetes lançados da Faixa de Gaza 10/05/2021
Foto: Amir Cohen/Reuters

Por mais de uma década, Israel projetou um sistema de defesa denominado Domo de Ferro (Iron Dome, em inglês) que tem sido um elemento fundamental para a proteção de Tel Aviv e outras cidades de Israel, uma vez que este sistema funciona como um escudo contra ataques de mísseis lançados de Gaza.

Durante os recentes confrontos entre israelenses e palestinos , militantes palestinos dispararam mais de 1.600 foguetes, disse Jonathan Conricus, porta-voz das Forças de Defesa de Israel (IDF). "Aproximadamente 400 ficaram aquém da Faixa de Gaza e a taxa de interceptação continua em uma média de 90%", disse ele.

Os recentes confrontos entre israelenses e palestinos rapidamente se transformaram em uma das piores ondas de violência entre os dois lados nos últimos anos, e o Domo de Ferro desempenhou um papel vital na detecção e rastreamento de mísseis.

Outro fator fundamental desse sistema é que ele possui um radar que permite detectar foguetes no momento em que são lançados de Gaza, permitindo detectar para onde os projéteis estão se dirigindo para alertar a população sobre o possível impacto que viria.

A seguir explicaremos o que é e como funciona o sistema antimísseis de Israel, que por vários anos se tornou um elemento fundamental de proteção de seu território.

O que é o Domo de Ferro?

O nome Iron Dome evoca a imagem de uma bolha protegendo uma cidade. Na prática, o sistema detecta mísseis lançados em um alcance de 4 a 70 quilômetros e responde disparando um míssil interceptor Tamir contra projéteis que se aproximam e representam uma ameaça para a área protegida. Essas áreas geralmente são locais estrategicamente importantes, incluindo lugares povoados.

Como é composto?

O Iron Dome é composto por três elementos: um radar de detecção e rastreamento, um sistema de controle de armas e gerenciamento de batalha (BMC) e uma unidade de disparo de mísseis (MFU).

"O radar detecta o lançamento de um foguete e transmite informações sobre sua trajetória para o centro de controle, que calcula o ponto de impacto esperado", disse o exército israelense. 'Se este local justifica uma interceptação, um míssil é disparado para interceptar o foguete. A carga útil do míssil interceptor explode perto do foguete, em um local que não deve causar ferimentos.

Cada sistema móvel - conhecido como bateria - é composto de um radar para identificar alvos, um sistema de controle e um lançador de mísseis portátil.

Os mísseis têm aproximadamente 3 metros de comprimento e 15 centímetros de diâmetro; e pesar 90 quilos, disse o grupo de análise de segurança Jane's International Defense Review (IDR) em 2012.

O sistema é fácil de transportar e leva apenas algumas horas para realocá-lo e configurá-lo. Além disso, pode ser operado em qualquer condição climática.

O governo israelense possui atualmente 10 baterias, de acordo com a AFP. No entanto, um ministro da defesa disse à CNN que Israel precisaria de mais de 13 baterias para manter todas as suas fronteiras protegidas.

Até o momento, o sistema interceptou mais de 2.000 alvos e tem uma taxa de sucesso de mais de 90%, de acordo com informações da empresa de desenvolvimento de tecnologia de defesa Rafael.

Como surgiu o Domo de Ferro ? 

Israel começou a desenvolver o sistema de defesa em fevereiro de 2007, sua série de testes foi concluída em julho de 2010 e foi declarado operacional em 2011.

A Força Aérea de Israel (IAF) informou em 2011 que o sistema tinha uma taxa de interceptação de 70%.

O primeiro teste da Cúpula de Ferro foi durante a Operação Pilar de Defesa de 2012, entre Israel e grupos militantes palestinos, incluindo o Hamas. Autoridades israelenses afirmaram que o Iron Dome interceptou 85% dos mais de 400 mísseis disparados de Gaza.

De acordo com a IAF e a revista militar Jane's Defense Weekly , durante um conflito em maio de 2019 na Faixa de Gaza, o Iron Dome alcançou 86% de sucesso na taxa de interceptação contra foguetes disparados em áreas urbanas.

Os Estados Unidos estiveram envolvidos em sua construção?
Sim. Embora o desenvolvimento inicial tenha sido executado exclusivamente pela empresa israelense de desenvolvimento de tecnologia de defesa Rafael, o sistema foi patrocinado pelos Estados Unidos.

Em maio de 2010, a Casa Branca aprovou um plano para fornecer US $ 205 milhões para a Cúpula de Ferro e em julho de 2012, o presidente Barack Obama anunciou que os Estados Unidos forneceriam um fundo de US $ 70 milhões para o projeto.

“Este é um programa que tem sido crítico em termos de fornecer segurança e proteção às famílias israelenses”, disse Obama na época do sistema. "É um programa que foi revisado e evitou ataques de mísseis em Israel."

Até o momento, os Estados Unidos forneceram a Israel US $ 1,6 bilhão para baterias Iron Dome, interceptores, custos de coprodução e manutenção geral, de acordo com um relatório do Congressional Research Service (CRS) .

Embora Israel fosse inicialmente o único proprietário da tecnologia Iron Dome, os Estados Unidos pediram para ser coproprietário da tecnologia e de sua produção em 2011, de acordo com a CRS.

Até março de 2014, os dois governos assinaram um acordo de coprodução para permitir a fabricação dos componentes do sistema Iron Dome nos Estados Unidos, ao mesmo tempo em que foi fornecido à United States Missile Defense Agency (MDA, para acesso total à tecnologia proprietária.

O Iron Dome custa US $ 50 milhões, de acordo com o IDR; e cada míssil custa não menos do que US $ 62.000, de acordo com autoridades israelenses.

Texto traduzido. Leia o original em inglês