EUA vão doar parte substancial de suas vacinas por meio da Covax, diz autoridade

Presidente Joe Biden anunciou que seu governo enviará até o final de junho um total de 20 milhões de doses de imunizantes

Reuters
19 de maio de 2021 às 09:32
Frasco da Covaxin, vacina contra Covid-19 da indiana Bharat Biotech
Frasco da Covaxin, vacina contra Covid-19 da indiana Bharat Biotech
Foto: Adnan Abidi - 16.jan.2021/Reuters

Os Estados Unidos vão doar um número significativo de vacinas contra a Covid-19 por meio do esquema Covax da Organização Mundial da Saúde (OMS) para distribuição de doses a países mais pobres, disse Gayle Smith, coordenador da Covid Global dos Estados Unidos, em entrevista coletiva nesta quarta-feira (19).

O presidente dos EUA, Joe Biden, anunciou na segunda-feira (17) que seu governo enviará até o final de junho um total de 20 milhões de doses das vacinas Pfizer/BioNTech, Moderna e Johnson & Johnson, além de 60 milhões de doses AstraZeneca que ele já tinha planejado para dar a outros países.

“A distribuição das vacinas incluirá obviamente uma porção substancial por meio da Covax, mas não tomamos as decisões finais", disse Smith.

As vacinas contra a Covid-19 garantem proteção porque previnem a doença, especialmente nas formas graves, reduzindo as chances de morte e internações.

Embora não impeçam o contágio e nem a transmissão do vírus, a vacinação é essencial, já que induz o sistema de defesa do corpo a produzir imunidade contra o coronavírus pela ação de anticorpos específicos, segundo a Sociedade Brasileira de Imunizações (SBIm).