Facebook suspende conta de Trump até 2023

A nova data priva Trump de um grande espaço nas redes sociais antes das eleições de meio de mandato de novembro de 2022

Elizabeth Culliford, da Reuters
04 de junho de 2021 às 19:18 | Atualizado 04 de junho de 2021 às 19:53

 

O Facebook baniu, nesta sexta-feira (4), o ex-presidente norte-americano Donald Trump de sua plataforma até ao menos janeiro de 2023 e anunciou mudanças na forma como tratará líderes mundiais que violam as regras no futuro.

A empresa disse que a suspensão, que durará no mínimo dois anos a contar de 7 de janeiro - data de seu bloqueio inicial na esteira do ataque ao Capitólio dos Estados Unidos -, só será cancelada se o risco à segurança pública tiver diminuído. Trump classificou a suspensão como "um insulto" aos norte-americanos que o apoiam.

A nova data priva Trump de um grande espaço nas redes sociais antes das eleições de meio de mandato de novembro de 2022, quando seu partido disputará assentos no Congresso – mas significa que ele pode conseguir voltar ao Facebook bem antes da próxima eleição presidencial, no final de 2024.

Trump foi banido permanentemente pelo Twitter e segue suspenso do YouTube. O ex-presidente, que nesta semana encerrou seu blog recém-lançado, insinuou planos de lançar uma própria plataforma, mas sua equipe deu poucos detalhes.

"Dada a gravidade das circunstâncias que levaram à suspensão do senhor Trump, acreditamos que suas ações constituíram grave violação de nossas regras, o que justifica a maior penalidade disponível conforme os novos protocolos de aplicação", disse Nick Clegg, chefe de assuntos globais do Facebook.

Em maio, o conselho de supervisão independente do Facebook manteve o bloqueio inédito da empresa a Trump, que foi aplicado porque suas postagens estavam incitando a violência. O conselho, porém, determinou que é errado tornar o banimento indefinido e pediu uma "reação proporcional".

Trump foi banido permanentemente pelo Twitter e segue suspenso do YouTube
Foto: Carlos Barria/Reuters (13.nov.2020)