Apesar da boa vacinação no Chile, casos aumentam e Santiago entra em lockdown

País já imunizou com as duas doses quase metade da população

Raquel Landim
Por Raquel Landim, CNN  
12 de junho de 2021 às 23:44

Santiago, no Chile, começou um novo lockdown neste sábado (12). Apesar de ser um dos países com o maior índice da população vacinada até agora, os casos de Covid-19 aumentaram nas últimas duas semanas - na região da capital, a ocupação de leitos de UTI chega a 98%.

No último mês, o número de novos casos diários saiu de 5.221 para mais de 7.153, alta de quase 40% - retomando os patamares mais altos registrados em abril deste ano e em junho do ano passado.

 

Até agora 46,5% dos chilenos já foram totalmente imunizados contra a Covid-19 e 60% receberam pelo menos uma dose de vacina. Ao todo, 79,8% das doses aplicadas no país são Coronavac,  fabricadas pela chinesa Sinovac, 18,3% da Pfizer e 1,9% da Astrazeneca.

Zulema Riquelme, técnica em enfermagem de 46 anos, é a primeira pessoa a ser vacinada contra a Covid-19 no Chile
Foto: Reprodução/CNN Chile

A hipótese dos especialistas é que a Coronavac não esteja impedindo o contágio, mas consegue evitar mortes. Estudos apontaram uma eficácia de 50% dessa vacina contra a contaminação, mas de 80% contra casos graves.

O número de óbitos por covid no chile, no entanto, tem se mantido estável em torno de 100 por dia. Com as novas restrições, bares e restaurantes não podem atender clientes, as escolas não terão aulas presenciais e está valendo um toque de recolher entre 22h e 5h.