Taiwan agradece EUA por doar vacinas; China alerta para ‘manipulação política’

Ilha recebeu 2,5 milhões de doses e dobrou seu estoque de imunizantes contra Covid-19; Pequim pede que Washington para de interferir em seus assuntos internos

Reuters
21 de junho de 2021 às 07:58 | Atualizado 21 de junho de 2021 às 08:07
Ministro da Saúde de Taiwan e diplomata dos EUA recebem vacina contra Covid-19
Ministro da Saúde de Taiwan e diplomata dos EUA recebem doses de vacina contra Covid-19 em aeroporto
Foto: Reuters

Taiwan afirmou que o recebimento de 2,5 milhões de doses de vacina contra Covid-19 enviadas pelos Estados Unidos no domingo (20) foi uma ajuda de um verdadeiro amigo, já que mais do que dobra o estoque de imunizantes disponíveis na maior ilha produtora de semicondutores do mundo.

Washington, competindo com Pequim para aprofundar sua influência geopolítica por meio da "diplomacia de vacinas", inicialmente prometeu doar 750 mil doses, mas aumentou esse número conforme o governo do presidente Joe Biden avança em sua promessa de enviar 80 milhões de doses feitas nos EUA ao redor do mundo.

Um cargueiro da China Airlines com as vacinas pousou no aeroporto de Taoyuan, nos arredores de Taipei, no final da tarde e foi recebido na pista pelo ministro da Saúde, Chen Shih-chung, e pelo principal diplomata dos EUA em Taiwan, Brent Christensen.

Falando de seu escritório em comentários transmitidos após a chegada das doses da vacina da Moderna, a presidente Tsai Ing-wen expressou sua "sincera gratidão".

"Um amigo que te ajuda em um momento de necessidade é um amigo verdadeiro", afirmou ela, em inglês.

O Instituto Americano em Taiwan – a embaixada de fato dos EUA – disse que a doação reflete o compromisso dos EUA com Taiwan "como um amigo de confiança e um importante parceiro de segurança".

"Como disse o presidente Biden disse, não usaremos nossas vacinas para garantir favores de outros países", disse o comunicado. "Em vez disso, vamos compartilhar essas vacinas para acabar com a pandemia em todos os lugares."

Políticos taiwaneses de todo o espectro político também agradeceram aos Estados Unidos, incluindo o principal partido da oposição, o Kuomintang, que criticou Tsai pelo que considera uma lentidão na compra de vacinas.

Os EUA, como a maioria dos países, não têm laços diplomáticos formais com Taiwan, mas são seu patrocinador internacional mais importante.

"Pedimos aos EUA que não busque manipulação política em nome da assistência com vacinas e pare de interferir nos assuntos internos da China", disse Zhao Lijian, porta-voz do Ministério das Relações Exteriores da China.

As recém-chegadas 2,5 milhões de doses vão mais do que dobrar o número de vacinas que chegaram à ilha, incluindo 1,24 milhão de vacinas da AstraZeneca doadas pelo Japão este mês.

A China, que afirma governar Taiwan democraticamente como parte integrante de seu território, ofereceu vacinas fabricadas na China, mas o governo em Taipei expressou repetidamente preocupações sobre sua segurança e eficácia.

Apesar da pandemia, a China continuou a pressionar Taiwan militarmente, buscando afirmar sua soberania.

Na semana passada, 28 aeronaves da força aérea chinesa, incluindo caças e bombardeiros com capacidade nuclear, entraram na zona de identificação de defesa aérea de Taiwan, a maior incursão relatada até agora.

Taiwan está tentando acelerar a chegada dos milhões de vacinas que já comprou enquanto lida com um aumento nos casos de Covid-19, embora as infecções permaneçam comparativamente baixas e tenham se estabilizado.

Apenas cerca de 6% dos 23,5 milhões de taiwaneses receberam pelo menos uma das doses das vacinas contra o novo coronavírus.