Coreia do Sul irá receber 700 mil doses da Pfizer emprestadas por Israel

Apesar de vacinação ágil, o país tem enfrentado dificuldades em obter as doses a tempo no mercado internacional

De Josh Smith e Dan Williams, da Reuters
06 de julho de 2021 às 09:38
UE assinou novo contato para comprar até 1,8 bilhão de doses de vacina da Pfizer
Doses de vacinas contra a Covid-19 da Pfizer
Foto: Christian Charisius - 30.abr.2021/Reuters

A Coreia do Sul anunciou que irá receber 700 mil doses da vacina da Pfizer/BioNTech emprestadas por Israel nesta semana, parte do esforço do país em acelerar a imunização após um aumento de casos registrados na capital Seoul. 

Mais de 1000 casos de Covid-19 foram reportados até às 18h da terça-feira (06), o maior número desde dezembro, além de outros 746 casos confirmados na segunda-feira, informou a agência de notícias Yonhap, com dados do Ministério da Saúde coreano. 

Sob o pacto do empréstimo, a Coreia do Sul irá devolver a mesma quantidade de doses da Pfizer a Israel entre setembro e outubro.  

O país tem distribuído rapidamente as vacinas contra a Covid-19 disponíveis, mas enfrenta dificuldades em obter as doses no tempo correto devido ao fornecimento global cada vez mais escasso, especialmente na Ásia.

Em declaração a jornalistas em Jerusalém, o primeiro-ministro israelense Naftali Bennet afirmou que as doses já estavam sendo embarcadas em um avião horas após o anúncio do acordo, e que autoridades coreanas iriam verificar a viabilidade. 

"É um acordo em que todos ganham", afirmou Bennet mais cedo. "Juntos iremos vencer a pandemia".

Israel já aplicou as duas doses da vacina em cerca de 55% de sua população.

Prioridade das doses

A diretora da Agência Coreana de Prevenção e Controle de Doenças, Jeong Eun-kyeong, afirmou que o acordo irá permitir que a Coréia do Sul acelere em seus planos vacinais, incluindo a administração de doses em empregados de setores que têm mais contato com o público. 

Autoridades locais ainda irão decidir quem irá receber as vacinas, mas Jeong afirmou que será dada prioridade a funcionários de limpeza urbana, entregadores de delivery e trabalhadores do comércio.

O governo coreano afirmou na última semana que eles esperavam atingir a imunização em massa até novembro, com a aplicação de ao menos uma dose em 70% da população. 

Jeong afirmou que, caso os planos de vacinação na Coreia do Sul continuem conforme o esperado, eles teriam as doses disponíveis para a devolução a Israel antes do prazo estabelecido, e que o país também atuaria ajudando outros países com vacinas remanescentes. 

A Coreia do Sul vem combatendo persistentes surtos locais da doença, o que força as autoridades a adiarem o relaxamento de medidas de distanciamento social ainda impostas.