Geórgia investiga morte de jornalista espancado durante ataques a grupo LGBTQIA+

Ativistas cancelaram uma marcha na segunda-feira (5) depois que grupos violentos invadiram e saquearam seu escritório e alvejaram ativistas e jornalistas

Da Reuters
11 de julho de 2021 às 12:19
Geórgia, LGBT
Polícia intervém em ato anti-LGBT na Geórgia na última segunda-feira (5)
Foto: Davit Kachkachishvili/Anadolu Agency via Getty Images

 A polícia da Geórgia abriu uma investigação criminal neste domingo (11) para apurar a morte de um cinegrafista, um dos vários jornalistas que foram agredidos durante ataques a ativistas LGBTQIA+ no início desta semana.

Ativistas LGBTQIA+ na Geórgia, país do Sul do Cáucaso, cancelaram uma marcha na segunda-feira (5) depois que grupos violentos contrários ao evento invadiram e saquearam seu escritório na capital Tbilisi e alvejaram ativistas e jornalistas.

O cinegrafista Alexander Lashkarava, que foi espancado no incidente, foi encontrado morto em sua casa por sua mãe, informou seu canal, a TV Pirveli, no domingo. A emissora não revelou a causa da morte. O Ministério do Interior disse que abriu um processo criminal para apurar o caso.

Sua morte levou ativistas a anunciar uma passeata no centro de Tbilisi no final do domingo para exigir o julgamento dos responsáveis pelos ataques. Mais de 50 jornalistas foram alvos da violência, disse a polícia na segunda-feira, levando os países ocidentais a apelar à Geórgia para garantir a liberdade de expressão.

A marcha, que foi cancelada antes de começar, gerou críticas da Igreja e dos conservadores, enquanto o primeiro-ministro Irakli Garibashvili disse que o evento poderia causar confrontos públicos.