Justiça dos EUA condena primeiro manifestante dos ataques ao Capitólio

Paul Hodgkins, de 38 anos, foi condenado a oito meses de prisão

Marshall Cohen, da CNN
19 de julho de 2021 às 14:36 | Atualizado 19 de julho de 2021 às 14:37
Paul Hodgkins
Foto: Divulgação / Departamento de Justiça dos EUA

Um homem que se confessou culpado por violar a câmara do Senado durante a insurreição do Capitólio dos Estados Unidos foi sentenciado nesta segunda-feira (19) a oito meses de prisão.

O caso é observado de perto porque pode influenciar a forma como centenas de outros manifestantes acusados do mesmo crime serão punidos.

Residente da Flórida, Paul Hodgkins, de 38 anos, é agora o primeiro manifestante do Capitólio acusado de um crime. Ele se confessou culpado no mês passado por obstruir os procedimentos do Congresso -- especificamente, a contagem dos votos eleitorais, que ele ajudou a atrasar ao invadir a Câmara do Senado em 6 de janeiro.

Hodhkins passou cerca de 15 minutos dentro do Capitólio, vestindo uma camisa de Donald Trump e carregando uma bandeira do ex-presidente.

A sentença é menor do que os 18 meses que o Departamento de Justiça pediu. Hodgkins estava buscando liberdade condicional.

O juiz Federal Randolph Moss disse que Hodgkins contribuiu para uma grave ofensa contra a democracia, mas merecia alguma indulgência porque se declarou culpado "excepcionalmente cedo" no processo e não se envolveu em nenhum dos atos de violência de 6 de janeiro. Ainda assim, Moss condenou as ações de Hodgkins.

"Ele estava fazendo uma reivindicação no plenário do Senado dos Estados Unidos, não com a bandeira americana, mas com uma bandeira declarando sua lealdade a um único indivíduo em toda a nação", disse Moss.

"Quando uma multidão está preparada para atacar o Capitólio para impedir que funcionários eleitos de ambos os partidos cumpram seus deveres constitucionais e estatutários, a democracia está em apuros... o dano que eles causaram naquele dia vai muito além dos atrasos daquele dia. Danos que persistirão neste país por décadas."

Moss -- e seu raciocínio -- poderia estabelecer uma referência para outros casos de motim do Capitólio. Quase 550 manifestantes foram acusados ao todo, e o Departamento de Justiça afirma que pelo menos 230 deles foram acusados do mesmo crime de obstrução do qual Hodgkins se declarou culpado.

(Texto traduzido, clique aqui e leia o original em inglês).