África do Sul bate recorde ao registrar 26 mil novos casos de Covid-19 em 24h

País, que tem apenas 5% da população vacinada, atravessa terceira onda de infecções

Foto: Darren Stewart/Gallo Images via Getty Images

Tim Cocks, Bill Berkrot e Daniel Wallis, da Reuters

Ouvir notícia

A África do Sul atingiu um recorde de 26.000 novos casos de Covid-19 neste sábado (3), seu segundo recorde em poucos dias, enquanto uma terceira onda de infecções percorria uma população em grande parte não vacinada.

O aumento desenfreado de infecções na nação mais industrializada da África levou os serviços de saúde ao ponto de ruptura, com hospitais sem leitos e médicos para atendê-los, e forçou o governo a impor restrições parciais de bloqueio.

A África do Sul registrou mais de 2 milhões de casos e 61.500 mortes até agora durante a pandemia, mostraram os dados do Departamento de Saúde, enquanto 3,3 milhões de pessoas foram vacinadas – cerca de 5% da população.

A baixa taxa de vacinação é resultado de uma mistura de azar e falhas burocráticas. O governo teve que destruir 2 milhões de doses de vacinas contaminadas da Johnson & Johnson no início deste ano, enquanto os esforços para substituí-las esbarraram em gargalos de abastecimento global.

O presidente Cyril Ramaphosa criticou o que chamou de “apartheid de vacinas” global, com países ricos com abundantes suprimentos de vacinas acumulando-os enquanto os países mais pobres esperam.

Para resolver este problema, a África do Sul aprovou no sábado a vacina chinesa Sinovac contra Covid-19, à medida que surgem evidências crescentes de sua eficácia.

Mais Recentes da CNN