Airbus A340 aterrissa na Antártica pela primeira vez

Empresa de aviação portuguesa fez voo histórico entre África do Sul e o continente gelado

Voo Hi Fly 801 foi encomendado por empresa de turismo de luxo.
Voo Hi Fly 801 foi encomendado por empresa de turismo de luxo. Marc Bow/Hi Fly

Lilit Marcusda CNN

Ouvir notícia

Pela primeira vez na história, um avião Airbus A340 pousou na Antártica.

Hi Fly, uma companhia de aviação portuguesa, foi quem esteve por trás da realização do voo. A empresa é especializada em arrendamentos com tripulação, o que significa que ela aluga a aeronave e tripulação, é responsável pelo seguro, manutenção e outras logísticas.

O voo Hi Fly 801 decolou da Cidade do Cabo, na África do Sul, nesta terça-feira, 2 de novembro.

AIRBUS A340 ANTÁRTICA
Capitão Carlos Mirpuri coloca seus pés na Antártica. / Marc Bow/Hi Fly

O avião foi alugado pelo Wolf’s Fang, um novo acampamento de aventura de luxo no continente mais ao sul do mundo, e trouxe suprimentos muito necessários para o resort. Wolf’s Fang é um novo projeto da empresa de turismo topo de linha na Antártica, White Desert.

A tripulação do Hi Fly 801 (e sua viagem de volta à Cidade do Cabo, Hi Fly 802) foi liderada pelo Capitão Carlos Mirpuri, que também é o vice-presidente da Hi Fly.

Cada voo durou entre cinco e cinco horas e meia, e a equipe ficou menos de três horas em solo na Antártica, percorrendo 2.500 milhas náuticas.

A pista de gelo azul na propriedade do Wolf’s Fang é classificada um aeroporto Nível C, apesar de não ser tecnicamente um aeroporto. Isso significa que apenas uma tripulação altamente especializada pode voar até lá devido às condições desafiadoras.

“Quanto mais frio, melhor”, explicou Mirpuri em seu diário de bordo de capitão.

“Os sulcos são feitos ao longo da pista por equipamentos especiais, e depois de limpar e talhar, obtemos um coeficiente de frenagem adequado; a pista com 3 mil metros de comprimento, pousar e parar um A340 tão pesado naquele campo de aviação não seria um problema.”

Embora o gelo azul seja lindo, ele também pode ser preocupante para os pilotos por causa de seu brilho.

Mirpuri acrescentou: “O reflexo é tremendo e óculos adequados ajudam a ajustar seus olhos entre a visão externa e a instrumentação. O copiloto tem um papel importante, especialmente nos instantes finais da aterrissagem.”

AIRBUS A340 ANTÁRTICA
Hi Fly 801 na pista de gelo, na Antártica. / Marc Bow/Hi Fly

O primeiro voo registrado para a Antártica foi um monoplano Lockheed Vega 1 em 1928, pilotado por George Hubert Wilkins, um piloto militar e explorador australiano. Ele decolou da Ilha Decepção no arquipélago de Shetland do Sul. O projeto foi financiado por William Randolph Hearst, o rico magnata editorial americano.

Voos exploratórios curtos como esses foram como os cientistas e cartógrafos obtiveram informações vitais sobre a topografia da Antártica.

Até hoje, não há aeroporto no Continente Branco, mas existem 50 pistas de pouso e pistas.

Austrália e África do Sul são apenas duas das potências globais com interesses na Antártica.

Conforme observa o site de aviação Simple Flying, a estação de pesquisa russa na Antártica organizou meia dúzia de voos de teste para sua pista de gelo azul de 3.000 pés entre 2019 e 2020. Esses voos também foram realizados por aeronaves de grande porte.

Uma vez que a grande maioria das pessoas chega ao Continente Branco de navio, ver o pouso do A340 em uma pista de gelo é certamente dramático – e significa que provavelmente haverá mais pousos desse tipo no futuro.

* Matéria traduzida. Leia a original aqui.

Mais Recentes da CNN