Alemanha promete decisão rápida sobre envio de armas pesadas para a Ucrânia

Empresa de defesa alemã Rheinmetall RHMG.DE pediu autorização para exportar veículos de infantaria para a Ucrânia

Chanceler alemão, Olaf Scholz
Chanceler alemão, Olaf Scholz 24/03/2022REUTERS/Gonzalo Fuentes

Sabine SieboldMiranda MurrayRachel MoreAlexander Ratzda Reuters

Em Berlim

Ouvir notícia

A Alemanha decidirá em breve se aprovará o envio de 100 veículos de infantaria Marder antigos para a Ucrânia, disse um porta-voz do governo nesta segunda-feira (25), no que seria o primeiro carregamento de armas pesadas alemão destinado ao conflito entre russos e ucranianos.

A empresa de defesa alemã Rheinmetall RHMG.DE pediu autorização para exportar os veículos para a Ucrânia, disse uma fonte de segurança à Reuters, com o objetivo de restaurá-los antes de enviá-los nos próximos meses.

A Rheinmetall também solicitou aprovação para exportar 88 tanques Leopard 1A5 antigos, de acordo com o jornal alemão Die Welt, citando documentos.

A medida da Rheinmetall deve forçar o chanceler Olaf Scholz a tomar uma posição clara sobre se armas pesadas podem ser enviadas diretamente da Alemanha para a Ucrânia, pois os acordos exigem a aprovação do conselho de segurança nacional, que é presidido por Scholz.

Um porta-voz da Rheinmetall não quis comentar o assunto.

Scholz está enfrentando crescentes críticas em casa e no exterior por sua relutância em entregar armas pesadas, como tanques e obuses, para ajudar a Ucrânia a repelir ataques russos.

O porta-voz do governo alemão não deu um prazo para quando uma decisão sobre o acordo dos Marders seria tomada.

A ministra da Defesa, Christine Lambrecht, escreveu em uma carta à coalizão governista na semana passada que os pedidos de exportação para a Ucrânia “serão verificados com absoluta prioridade. Após a coordenação no gabinete, eles serão decididos no mesmo dia como regra geral”.

Em sua primeira visita à Ucrânia desde a invasão da Rússia, há dois meses, os secretários de Estado e de Defesa dos EUA prometeram no domingo (24) ajuda militar adicional a Kiev, incluindo armas avançadas.

Os pedidos ucranianos por armas pesadas se intensificaram desde que Moscou mudou sua ofensiva para a região leste de Donbass, um território visto como mais adequado para batalhas de tanques do que as áreas ao redor de Kiev, onde grande parte dos combates ocorreu até agora.

Moscou descreve suas ações na Ucrânia, agora entrando no terceiro mês, como uma “operação militar especial”.

Mais Recentes da CNN