Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Apoio dos EUA à quebra de patentes deve ser visto com cautela, diz ex-OMC

    O ex-diretor geral da Organição Mundial do Comércio Roberto Azevêdo falou à CNN sobre a abrangência da proposta dos norte-americanos, que ainda pode mudar

    Da CNN, em São Paulo

    Em entrevista à CNN, o ex-diretor-geral da Organição Mundial do Comércio (OMC) Roberto Azevêdo afirmou que o anúncio dos Estados Unidos de apoiar a flexibilização das regras de patentes para vacinas contra a Covid-19 deve ser visto com cautela, uma vez que adotou pouco definitivo e não deixou clara a extensão das suspensões que devem ser endossadas.

    “É difícil dizer neste momento a abrangência do que os norte-americanos estão propondo”, disse Azevêdo. “É uma mudança muito significativa na posição do país, o que significa que deve ser vista com certa cautela.”

    O ex-diretor-geral da OMC ainda destacou que a proposta de renúncia completa aos direitos sobre as propriedades intelectuais é muito radical e não deve ser acatada pelos Estados Unidos. 

    “Uma coisa é dizer ‘estou pronto a negociar’ e a outra coisa é ‘estou de acordo com a proposta’. Os norte-americanos nunca disseram isso e eu duvido muito que o venham a fazer”, explicou Azevêdo, em referência ao plano original proposto pela Índia e pela África do Sul.

    “A proposta original é muito ambiciosa, com uma abrangência enorme. Eu duvido que se chegue a um entendimento naquelas bases em curto prazo.”

    Ex-diretor geral da OMC Roberto Azevêdo fala sobre quebra de patentes de vacinas
    Ex-diretor geral da OMC, Roberto Azevêdo conversou com a CNN sobre o apoio dos EUA à flexibilização das regras de patentes para vacinas contra a Covid (05.mai.2021)
    Foto: Reprodução / CNN

    Publicado por Guilherme Venaglia