Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Após Belarus receber armas nucleares, Polônia reforça fronteira

    "Devido à situação tensa na fronteira com a Belarus, decidi reforçar nossas forças com 500 policiais poloneses de unidades preventivas e antiterroristas", anunciou ministro do Interior

    da Reuters

    A Polônia enviará 500 policiais para sua fronteira com a Belarus, disse o ministro do Interior, Mariusz Kaminski, neste domingo (2).

    A guarda de fronteira polonesa disse hoje que 187 pessoas tentaram entrar na Polônia a partir da Belarus ilegalmente no sábado.

    “Devido à situação tensa na fronteira com a Belarus, decidi reforçar nossas forças com 500 policiais poloneses de unidades preventivas e antiterroristas”, escreveu Kaminski no Twitter.

    “Eles se juntarão a 5.000 guardas de fronteira e 2.000 soldados que protegem a segurança desta fronteira.”

    O presidente de BelarusAlexander Lukashenko, o mais leal aliado do Kremlin na guerra na Ucrânia, disse na sexta-feira (30) estar certo de que armas nucleares táticas russas posicionadas em seu país nunca seriam usadas.

    Lukashenko e o presidente russo, Vladimir Putin, confirmaram que algumas armas táticas chegaram a Belarus e que o resto será posicionado até o fim do ano.

    “À medida que avançamos, ficamos cada vez mais convencidos que elas [as armas] precisam ser posicionadas aqui, em Belarus, um lugar confiável”, disse Lukashenko a um público reunido em um grande salão em transmissão online pela agência de notícias estatal BelTA, com muitos dos presentes balançando bandeiras nacionais verdes e vermelhas.

    (Reportagem de Karol Badohal)