Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Netanyahu tem pior aprovação entre líderes de Israel em meio a guerra, diz pesquisa

    Após contra-ataque no sul do país, Benjamin Netanyahu recebe menor avaliação do seu mandato; 4,2, em uma escala de 1 a 10

    Primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu
    Primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu 27/09/2023 ABIR SULTAN/Pool via REUTERS

    Da CNN*

    São Paulo

    Uma pesquisa publicada pelo jornal Maariv mostrou uma queda na confiança do público pela classe política e militar, que estão na liderança do governo de Israel, após o contra-ataque israelense ao Hamas, na Faixa de Gaza.

    Das personalidades testadas, o público atribui o menor grau de confiança ao primeiro-ministro Benjamin Netanyahu, que recebe a pontuação mais baixa pelo seu desempenho. A classificação média foi de 4,2, numa escala de 1 a 10.

    Membros do partido de Netanyahu, o Likud, deram uma pontuação de 6,7. Os eleitores do campo estadual, 2,7 e os eleitores do Yesh Atid, partido de oposição, apenas 1,7.

    O público deu notas um pouco superior, mas ainda baixas, ao desempenho do ministro da Defesa, Yoav Galant. A pontuação média foi de 5,4 – 5,5 entre os eleitores do Likud e apenas 4,9 entre os eleitores do Yesh Atid.

    O Chefe de Gabinete Herzi Halevi também recebe uma pontuação baixa – 5,7 entre todos os entrevistados, com os eleitores do Likud pontuando 6,8, os eleitores do State Party 6,4 e os eleitores do Yesh Atid 5,8.

    De todos os entrevistados, 42% deram ao primeiro-ministro Netanyahu a pior pontuação; 18% deram nota baixas para Galant e 16% para Halevi.

    Vale ressaltar que, atualmente, o governo tem 64 cadeiras (azul). A oposição teria maioria absoluta agora: 78 cadeira. O partido de Netanyahu, Likud, experimentaria uma derrota histórica: das atuais 32 cadeiras, passaria para apenas 19.

    O Partido da Unidade Nacional, de Benny Gantz, de oposição, saltaria das atuais 12 cadeiras para 41 assentos no Knesset, o parlamento israelense.

    *Publicado por Diego Mendes