Apuração na Geórgia: Diferença entre Trump e Biden cai para menos de 500 votos

Virada de Joe Biden na Geórgia impediria o atual presidente de alcançar os 270 votos de que necessita para ser reeleito

O republicano Donald Trump e o democrata Joe Biden
O republicano Donald Trump e o democrata Joe Biden Foto: Reprodução/CNN (22.out.2020)

Da CNN, em São Paulo

Ouvir notícia

Última atualização mostra que vantagem de Donald Trump no decisivo estado da Geórgia caiu para 463 votos às 5h45 desta sexta-feira (horário de Brasília). Tanto Trump quanto Joe Biden possuem 49,4% dos votos contabilizados: o republicano tem 2.448.232, enquanto o democrata soma 2.447.769.

Essa diferença, no início da quinta, estava na casa dos 60 mil votos e já foi maior desde o dia da votação, a terça-feira (3). 

Apesar disso, ao menos três condados suspenderam as contas. Os condados de Cobb, Taylor e Gwinnett — este último, o segundo maior do estado — pararam os trabalhos e pretendem fazer nova atualização no site da Secretaria de Estado da Geórgia.

Uma das explicações possíveis para a redução da vantagem de Trump é o resultado de estudos e pesquisas que indicam que os eleitores democratas de Joe Biden tem uma tendência maior ao voto pelo correio.

Assista e leia também:

América Decide: resultado das eleições nos EUA
Eleições nos EUA: Por que os democratas estão cautelosamente otimistas hoje
Se eleito, Biden não deve adotar políticas contra o Brasil, diz ex-embaixador

O estado da Geórgia começou a contar os votos dados no dia da eleição, que é mais tradicional dos republicanos, e depois os votos dados pelo correio. Há expectativa também de votos novos vindos da região metropolitana da capital do estado, Atlanta, onde há uma maior tendência pró-democrata.

O presidente Donald Trump não pode perder a Geórgia. Caso isso ocorra, Joe Biden alcançará 269 delegados, ficando a apenas um voto da Casa Branca e encerrando a possibilidade de Trump obter os 270 votos de que necessita. No máximo, seria possível apenas um empate entre os candidatos.

Mais Recentes da CNN